70% dos empresários dizem que sucesso depende das ligações políticas

  • ECO
  • 26 Fevereiro 2018

Eurobarómetro da Comissão Europeia revela que empresários portugueses consideram que a corrupção está generalizada no país e os contratos públicos são feitos à medida de algumas empresas.

Só quem tem ligações políticas consegue ter sucesso nos negócios. Esta é a convicção de 70% dos empresários portugueses, segundo um relatório da União Europeia sobre “As atitudes das empresas perante a corrupção” e que coloca Portugal na liderança europeia a este nível. O estudo do final de 2017, citado pela TSF, revela que a corrupção é outro dos problemas que preocupa os empresários nacionais.

Segundo o Eurobarómetro da Comissão Europeia, 58% das empresas nacionais apontam a corrupção como um problema na condução dos negócios, o que representa um aumento de nove pontos percentuais face ao estudo realizado há dois anos. Mais expressivo são os 86% de empresários que consideram que o fenómeno da corrupção está generalizado no país e que acaba por travar o desempenho da economia e das empresas mais do que as dificuldades de aceso ao crédito, as limitações das leis laborais, a falta de infraestruturas ou a burocracia, cita a rádio.

Outro dos ângulos deste estudo europeu incide sobre a forma como o Estado decide a contratação pública. Para 74% dos empresários portugueses estes concursos são feitos à medida de determinadas empresas, um resultado que volta a colocar Portugal no terceiro lugar do pódio ao nível desta perceção. Para as empresas portuguesas os critérios de seleção dos vencedores são pouco claros e por vezes há conflitos e interesse de quem avalia.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

70% dos empresários dizem que sucesso depende das ligações políticas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião