Eurodeputados fazem teste de avaliação a de Guindos, mas não é vinculativo

Avaliação dos eurodeputados não vinculativa. Nomeação do ministro espanhol a 22 de março está praticamente garantida. Ainda não se sabe quem o vai substituir na pasta da Economia em Espanha.

O ministro da Economia espanhol, Luis de Guindos, é avaliado esta segunda-feira pelos eurodeputados da Comissão de Assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu, antes de este ser nomeado, a 22 de março, vice-presidente do Banco Central Europeu, cargo que só assumirá a partir de 1 de junho.

Na terça-feira os eurodeputados vão votar um relatório sobre a idoneidade do ministro espanhol, ainda que se trate de um gesto meramente consultivo e não vinculativo. Esta é a segunda vez que de Guindos se apresenta perante o Parlamento Europeu no âmbito do seu processo de eleição para o BCE, onde irá substituir o português Vítor Constâncio. O encontro anterior foi a semana passada, à porta fechada, quando ainda estava na corrida o irlandês Philip Lane.

E apesar de o voto de amanhã não ser vinculativo, o espanhol não se deverá escapar a algumas críticas dos eurodeputados não só pelo responsável ser ministro, mas também por a lista de candidatos não apresentar nenhuma mulher, isto porque os eurodeputados tinham pedido expressamente que houvesse um equilíbrio de género na substituição de Constâncio. Este ainda não é o último obstáculo que Guindos terá de ultrapassar, o responsável ainda tem de esperar um parecer do conselho de governadores do Banco Central Europeu.

Quando essa substituição se tornar efetiva, de Guindos terá de abandonar a pasta da Economia em Espanha, mas, segundo a Standard & Poor’s não é de supor que haja “uma mudança radical” na política económica do país. Até agora a estratégia tem sido “alinhar-se” com as exigências europeias, sublinha a analista da S&P que acompanha a economia espanhola, frisando que “não tem havido flexibilidade para aplicar políticas muito personalizadas”, acrescenta Elena Iparraguirre, citada por vários jornais espanhóis.

O atual titular da pasta económica deverá apresnetar a demissão “nos próximos dias”, como explicou o próprio De Guindos, mas o presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy, ainda não avançou quem o vai substituir, tendo-se limitado, na sexta-feira, a dizer que a nomeação terá lugar “nos próximos dias”.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Eurodeputados fazem teste de avaliação a de Guindos, mas não é vinculativo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião