EUA isentam México e Canadá das tarifas sobre as importações

A Administração Trump decidiu excluir inicialmente os dois países das tarifas sobre a importação de aço e alumínio que pretende impor. Perdem esse direito se falharem atualização do acordo da NAFTA.

Os EUA decidiram excluir, pelo menos para já, o México e o Canadá da imposição de tarifas à importação de aço e alumínio. A confirmação foi dada na quarta-feira por Peter Navarro, conselheiro da Casa Branca para a área do comércio, citado pela Bloomberg.

Contudo esta isenção está sujeita a imposições. O que está previsto pela Administração de Trump é que os dois países não sejam sujeitos à aplicação dessas tarifas caso aceitem assinar um novo Tratado de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA) que vá ao encontro da satisfação dos EUA, afirmou Navarro, acrescentando que os restantes aliados americanos podem usar um sistema semelhante para também pedir uma isenção dessas tarifas.

Caso essas negociações falhem, o Canadá e o México terão de fazer face às mesmas tarifas que a Administração Trump pretende impor aos restantes países. Ou seja, de tarifas de importação de 25% no aço e de 10% no alumínio.

“Esta é a situação e o Presidente tornou isso público”, afirmou Navarro. “Irá haver uma reserva que irá incluir o Canadá e o México até que a NAFTA esteja concluída”, acrescentou.

Este anúncio acontece numa altura em que na Europa se discutem formas de combate naquela que promete ser uma “guerra comercial” entre os dois lados do Atlântico.

A China, que é um dos maiores produtores de aço do mundo, entretanto já reagiu, prometendo uma “resposta adequada e necessária” às taxas alfandegárias dos EUA. Estas foram as palavras proferidas pelo ministro chinês dos Negócios Estrangeiros nesta quinta-feira, apontando os perigos de uma guerra comercial.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EUA isentam México e Canadá das tarifas sobre as importações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião