O destino preferido dos portugueses é cá dentro

Um estudo da Momondo concluiu que a maioria dos portugueses pretende gastar, no máximo, 1.000 euros nas férias, optando por países europeus ou próximos a Portugal.

O verão ainda demora mas, para muitos portugueses, as férias já estão planeadas. Numa altura em que as companhias aéreas anunciam com frequência promoções de voos, os portugueses aproveitam para marcar as tão desejadas escapadelas nos dias de calor. O motor de busca Momondo publicou um estudo onde desenvolveu o perfil do viajante português, e onde se conclui que os Açores têm estado no topo das preferências há três anos consecutivos e que, em média, o orçamento vai dos 500 aos 1.000 euros.

Planear as férias não é uma coisa que se faça de um dia para o outro… e a Momondo vem comprovar isso. No estudo que publica esta quinta-feira — International Travel Survey 2018 –, onde inquiriu 1.000 utilizadores, concluiu que “metade dos portugueses procura inspiração junto da família e dos amigos, dando mais importância às suas recomendações do que a qualquer outra fonte”. Mas, ainda assim, metade dos viajantes entre os 36 e os 55 anos procura novas ideias para viagens na Internet.

Praia, hotel e, no máximo, 1.000 euros na mala

O primeiro passo é decidir o tipo de férias que vão ser: praia, campo, neve, cidades históricas… o que não falta são opções. Mas a verdade é que, em 2017, as preferências recaíram sobre destinos de praia (64%), com a tendência a aumentar este ano (67%). Logo atrás surgem as cidades (31%) e 20% opta por desfrutar do próprio país. Mas escolhido este primeiro ponto, vem um tão ou mais importante: o orçamento, que muitas vezes condiciona a escolha do destino.

De acordo com as respostas dos inquiridos, 28% planeia gastar entre 501 e 1.000 euros nas férias mas existem exceções. Numa faixa etária mais jovem (18-22 anos) o teto máximo do orçamento fixa-se nos 500 euros sendo que, numa faixa etária mais velha (36-55 anos) esse valor vai até aos 2.000 euros. As mesmas tendências acontecem com a escolha dos voos, que estão também condicionados de acordo com as possibilidades financeiras de cada um. Num conjunto dos mais jovens, 27% preferem um voo onde o preço já inclua a bagagem, enquanto 36% dos mais velhos não se importam com esse fator, preferindo decidir isso na hora de compra, mesmo que inflacione o preço final.

Em termos de estadia, as diferenças são notórias: ainda que a maioria dos portugueses prefira ficar alojado num hotel (48%), 38% dos mais jovens (18 – 22 anos) preferem alugar uma casa, enquanto os que têm entre 23 e 55 anos preferem ficar em casas de amigos ou familiares. Há ainda uma pequena percentagem (5%), correspondente à faixa etária dos 56 – 65 anos que prefere acampar.

Açores lideram as preferências há três anos consecutivos

As preferências dos portugueses têm-se mantido estáveis ao longo dos últimos três anos. O arquipélago dos Açores tem sido o destino preferido dos viajantes nacionais, ganhando este ano um novo concorrente: a Madeira. Até este ano, Londres ocupava o segundo lugar das preferências, acabando por cair três lugares este ano (5º). A contrariar este desempenho esteve Roma, que subiu do oitavo para o sexto lugar.

Os Açores lideram as preferências dos portugueses há três anos consecutivos

Relativamente aos principais destinos, os portugueses optam maioritariamente por países europeus e que sejam mais próximos do nosso, como é o caso de Espanha e de França. Por sua vez, os Estados Unidos e a Tailândia destacaram-se, em 2017, como os locais mais longínquos preferidos — quinto e nono lugar, respetivamente.

E para este ano, a Momondo traz novidades: há voos de ida e volta para Ponta Delgada a custarem, em média, 126 euros, e para a Madeira a rondar os 130 euros. Barcelona demonstra ser o destino mais acessível, com um preço médio de viagem de 96 euros. Em termos de alojamento, o destino mais caro acaba por ser Nova Iorque, onde uma noite ronda, em média, 211 euros num hotel de três ou quatro estrelas. O mais barato é português: em Ponta Delgada as noites rondam os 100 euros.

Viajante feminino x Viajante masculino

E como não poderia deixar de ser analisado, a Momondo tentou perceber as diferenças entre os viajantes de cada sexo. O viajante português masculino gasta, em média, mais dinheiro do que a viajante: 28% das mulheres pretendem gastar entre 501 e 1.000 euros nas férias, enquanto 30% dos homens pondera 2.000 euros.

Quando pensam em alojamento, para as mulheres o importante é a localização do hotel (64%) e o conforto (55%), já para os homens, o conforto e a relação qualidade-preço são o mais importante. E quando falamos em inspiração, 26% das viajantes femininas inspiram-se em agências de viagens, enquanto 30% revelam que não se importa de deixar de ir às compras e de poupar para conseguir amealhar mais um pouco para a tão desejada escapadela. Já com os homens, 16% preferem viajar para destinos relacionados com os seus passatempos preferidos, enquanto 13% admitiram que já chegou a escolher um local com o objetivo de aprender um novo desporto, como por exemplo mergulho (24%).

Comentários ({{ total }})

O destino preferido dos portugueses é cá dentro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião