Advogado da CCA Ontier e Miranda integram lista de árbitros do CAAD

Tiago Leote Cravo, associado coordenador do departamento de Direito Público da CCA Ontier, passou a integrar a nova lista de árbitros do CAAD (Centro de Arbitragem Administrativa).

Tiago Leote Cravo, associado coordenador do departamento de Direito Público da CCA Ontier, passou a integrar a nova lista de árbitros do CAAD (Centro de Arbitragem Administrativa) em matéria administrativa. Bem como Sandra Tavares Magalhães, advogada da Miranda & Associados.

Tiago Leote Cravo integrou a CCA Ontier em 2016 e coordena a equipa de Direito Público desde este ano. Foi adjunto do Gabinete do Secretário de Estado, adjunto do Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional (2015) e técnico especialista no gabinete do Secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Parlamentares (2015).

Sandra Tavares Magalhães centra a sua prática no Direito Administrativo, em particular Contratação Pública e Contencioso Administrativo. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, possui cursos de pós-graduação em Direito da Contratação Pública, Contencioso Administrativo e Direito da Arbitragem pela mesma instituição.

Antes de ingressar na Miranda, em 2017, trabalhou durante sete anos como advogada In-house da EPAL – Empresa Portuguesa das Águas Livres, S.A.

Sandra Tavares Magalhães junta-se assim aos outros advogados da Miranda & Associados que integram as listas de árbitros do CAAD: Miguel Navarro de Castro, igualmente na Arbitragem Administrativa, e Luís Oliveira e Mariana Gouveia de Oliveira, na Arbitragem Tributária.

O CAAD é a entidade nacional que visa promover a resolução de litígios respeitantes a matérias de direito administrativo e fiscal, através de informação, mediação, conciliação ou arbitragem. Tem como objetivo servir o Estado, os cidadãos e as empresas com uma arbitragem inovadora e reconhecida a nível nacional e internacional.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Advogado da CCA Ontier e Miranda integram lista de árbitros do CAAD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião