Petróleo acelera energéticas nacionais. PSI-20 escapa às quedas na Europa

  • Juliana Nogueira Santos
  • 21 Março 2018

A segurar o principal índice nacional estiveram a Galp Energia, a EDP e a EDP Renováveis, que conseguiram contrariar as perdas das retalhistas. O PSI-20 avançou 0,16%.

O PSI-20 voltou a valorizar, contrariando a tendência negativa das restantes praças europeias. Subiu, ainda que ligeiramente, num dia negativo para as retalhistas, beneficiando do comportamento das cotadas do setor energético, que ganharam impulso com a subida dos preços do petróleo nos mercados internacionais.

O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal, avançou 2,71% para 69,25 dólares, enquanto o crude, negociado em Nova Iorque, valorizou 2,64% para 65,14 dólares. À boleia foi a Galp Energia, que ganhou 0,81%, levando as ações a valer 15,59 euros.

Já a elétrica nacional, liderada por António Mexia, avançou 0,23% para 3,00 euros. A EDP Renováveis seguiu o exemplo, ganhando 0,07% para 7,66 euros. Tudo isto levou o PSI-20 a ganhar 0,16% para 5.429,97 pontos.

A contrastar com as companheiras de setor esteve a REN, que perdeu 0,24% para 2,47 euros. Ainda assim, não foi esta a empresa que mais pressionou o PSI-20. As duas retalhistas cotadas em bolsa registaram perdas esta quarta-feira, destacando-se a queda de 0,84% da Jerónimo Martins, cujas ações terminaram a negociar nos 14,81 euros. A Sonae perdeu 0,26% para 1,16 euros.

Destaque negativo ainda para o BCP, que deslizou 0,32% para 27,98 cêntimos. A mais recente cotada do PSI-20, a F. Ramada, terminou a sessão inalterada, nos 13,20 euros.

Na Europa, e num dia em que as atenções estiveram viradas para o outro lado do Atlântico, à espera da conclusão de mais uma reunião da Reserva Federal, a primeira com a liderança de Jerome Powell, as bolsas perderam valor. Com uma subida da taxa de juro diretora na mira, o Stoxx 600 deslizou 0,17%, enquanto o espanhol Ibex 35 perdeu 0,53%.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Petróleo acelera energéticas nacionais. PSI-20 escapa às quedas na Europa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião