Seat aumenta lucros. Marca espanhola tem resultado histórico

  • Lusa
  • 22 Março 2018

Os lucros da Seat aumentaram 21,3% no ano passado, um resultado considerado "histórico" pela marca de automóveis. Foram vendidos 8.200 veículos.

O construtor de automóveis Seat, que produz em Palmela (Portugal) o seu modelo topo de gama Alhambra, apresentou lucros de 281 milhões de euros em 2017, um resultado considerado “histórico” pela marca espanhola.

Em poucos anos, convertemos a Seat numa marca relevante para uma ampla maioria dos clientes europeus”, sublinhou o presidente da Seat, Luca de Meo, durante a conferência de imprensa, em Madrid, onde apresentou os resultados do ano passado da empresa. O lucro, depois de impostos, de 281 milhões de euros, significa um aumento de 21,3% face a 2016, sem contar com o efeito extraordinário da venda da filial VW Finance à Volkswagen AG.

A empresa teve um volume de negócios de 9.552 milhões de euros em 2017, mais 11,1% em relação ao exercício anterior (8.597 em 2016) e um crescimento de quase 50% na faturação desde 2013. A aceleração das vendas levou à entrega de 468.400 veículos no ano passado, o número mais elevado desde 2001.

Luca de Meo sublinhou que chegou o momento de a marca olhar para o futuro e anunciou o lançamento de “um automóvel novo a cada seis meses até ao ano 2020” e revelou que “2020 será o ano da eletrificação na Seat com o lançamento de uma versão híbrida Plug-in do Leon”. Segundo a empresa, o primeiro veículo elétrico da Seat chegará ao mercado com um “preço competitivo”, contará com uma autonomia de 500 quilómetros e terá os sistemas de “conectividade e de ‘infotainment’ [informação e entretenimento] mais avançados do mercado”.

Luca de Meo avançou ainda que o crescimento da Seat assentará em quatro pilares: “mais marcas, mais mercados, mais automóveis e mais energias”. A marca vendeu 8.200 automóveis em 2017 em Portugal, país onde tem uma rede de 28 concessionários e 50 pontos de venda. A Seat é uma das empresas do Grupo Volkswagen em Portugal, a par da Autoeuropa, Autovision, VW Financial Services e MAN.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Seat aumenta lucros. Marca espanhola tem resultado histórico

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião