Toyota suspende testes de condução autónoma após acidente mortal da Uber

  • ECO e Lusa
  • 22 Março 2018

Toyota decidiu suspender os testes de condução autónoma nos Estados Unidos após um acidente mortal com um veículo em modo de auto-condução da Uber. Veja o vídeo do acidente.

O gigante japonês Toyota decidiu suspender os testes de condução autónoma nos Estados Unidos, justificando com o impacto emocional sobre as suas equipas, após um acidente mortal com um veículo em modo de auto-condução da Uber.

A companhia automobilística conduzia testes com veículos autónomos na área de São Francisco (Califórnia) e em Ann Arbor (Michigan), onde se encontra o centro de investigação Toyota. As outras três operações em recintos fechados, nos mesmos estados, vão prosseguir.

“Dissemos aos nossos condutores que tirem um par de dias para que possamos avaliar a situação”, disse ao jornal norte-americano The New York Times um porta-voz da Toyota.

Apesar de os veículos autónomos funcionarem sozinhos, a Toyota tem condutores e engenheiros no seu interior por segurança.

Uma mulher morreu no domingo à noite em Temple (Arizona), quando foi atropelada por um veículo autónomo da Uber. Foi a primeira morte causada por uma viatura sem condutor nos EUA.

A Uber suspendeu as suas quatro operações de condução autónoma na América do Norte – Arizona, São Francisco (Califórnia), Pittsburgh (Pensilvânia) e Toronto (Canadá) – na sequência do acidente fatal. Segundo o mesmo jornal, a Ford e a General Motors mantêm os seus testes com viaturas autónomas, apesar do acidente da Uber. Já o construtor alemão BMW anunciou que vai manter os seus projetos, enquanto o japonês Nissan recusou comentar.

Todas as empresas esperam comercializar veículos totalmente autónomos nos anos 2020.

Vídeo do acidente mortal divulgado pela polícia

A polícia de Tempe, no Arizona, divulgou hoje um vídeo que mostra o acidente de um veiculo autónomo da companhia Uber que matou uma mulher na noite de domingo.

Uma sequência curta mostra quando o veículo autónomo da Uber atinge uma pessoa, mas nesse momento a gravação é cortada.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Toyota suspende testes de condução autónoma após acidente mortal da Uber

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião