Combustíveis vão ter maior subida em mais de um ano. Gasolina dispara mais de três cêntimos

Se pretende abastecer o depósito do seu carro em breve, não espere pela próxima semana. Tanto o gasóleo como a gasolina deverão registar a maior subida de preço em mais de um ano na segunda-feira.

Os preços dos combustíveis preparam-se para registar a maior subida em mais de um ano. Tanto o gasóleo como a gasolina vão registar aumentos significativos na próxima segunda-feira. Se pretende abastecer o depósito do seu carro nos próximos dias, então faça-o até domingo.

Segundo fonte do setor, o litro de diesel — o combustível mais usado em Portugal — deverá observar um agravamento de 2,5 cêntimos, naquela que será a maior subida de preço desde o início de 2017. Já a gasolina tem margem para subir entre 3,5 cêntimos e quatro cêntimos — podendo registar o maior aumento desde maio de 2016.

De acordo com os dados da Direção Geral de Energia, o gasóleo simples custava na última segunda-feira 1,255 euros por litro — perspetivando-se, assim, uma subida do preço até aos 1,28 euros. Quanto à gasolina, cujo litro custava 1,457 euros no início da semana, tem margem para subir até aos 1,49 euros. Serão em ambos os casos os preços mais elevados desde fevereiro.

Estes movimentos têm por base as cotações do petróleo dos mercados internacionais na última semana. O contrato de Brent negoceia esta sexta-feira muito perto dos 70 dólares, depois de ter acumulado uma valorização de 6,2% desde a semana passada.

A dar força aos preços do ouro negro estão declarações do ministro da Energia da Arábia Saudita, que avançou esta quinta-feira que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) deverão continuar a promover cortes na oferta de petróleo nos mercados em coordenação com outros países produtores, incluindo a Rússia.

(Notícia atualizada às 12h10)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Combustíveis vão ter maior subida em mais de um ano. Gasolina dispara mais de três cêntimos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião