Venda de hotel de luxo no Algarve põe Amorim Turismo e Oxy Capital frente a frente no tribunal

  • ECO
  • 24 Março 2018

A Amorim Turismo processou a Oxy Capital em dois milhões de euros. Em causa está a venda de um hotel de luxo no Algarve, controlado pela capital de risco mas detido em 25% pela empresa de turismo.

A Amorim Turismo processou a Oxy Capital com uma ação no tribunal da comarca de Lisboa, revelou este sábado o Expresso (acesso pago). O jornal cita “fontes próximas do processo” e indica que, em causa, está a venda do hotel algarvio Lake Resort. Alegadamente, a Amorim Turismo reclama o pagamento de dois milhões de euros.

Esta unidade hoteleira de luxo, com 192 quartos, nove suítes e 95 apartamentos de luxo, foi posta à venda pela Oxy Capital, que a controla desde 2014, quando adquiriu à Amorim Turismo 75% das sub-holdings que controlam, no Algarve, os três hotéis Lake Resort e o Troia Design Hotel.

No entanto, a Amorim Turismo ainda tem uma posição minoritária de 25% nessas empresas, pelo que terá direito de preferência e quer ter uma palavra a dizer na venda do Lake Resort.

Apesar de não se saber em concreto a reivindicação da empresa presidida por Jorge Armindo, o Expresso dá como certo de que será uma de três hipóteses: discordância quanto ao preço da venda do hotel (a Amorim Turismo pode querer subir o preço), quer mesmo ficar com o hotel ou não o quer vender a um grupo estrangeiro.

A Amorim Turismo é uma empresa que, desde 2005, se tornou autónoma do grupo Amorim. Tem operações no setor hoteleiro em Portugal, mas também em países africanos. Conta ainda com participações em vários casinos portugueses. A Oxy Capital é uma capital de risco que gere o fundo Aquarius, dedicado a recuperações no setor do turismo e que adquiriu as sub-holdings da Amorim Turismo em 2014.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Venda de hotel de luxo no Algarve põe Amorim Turismo e Oxy Capital frente a frente no tribunal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião