De escritórios a condomínio de luxo no centro de Lisboa

No centro de Lisboa, um edifício de escritórios vai transformar-se num condomínio de luxo com 13 apartamentos e duas penthouses. Habitações estão em fase de pré-venda.

No centro da capital não chegam duas mãos para contar os prédios que foram transformados. Em breve, vai somar-se mais um. Numa rua paralela à Avenida da Liberdade vai nascer um condomínio residencial, constituído por 13 apartamentos de luxo. Adaptado de um antigo prédio de escritórios, o imóvel representa um investimento superior a oito milhões de euros e as pré-vendas já arrancaram.

Vai começar a ser construído brevemente no número 11 da rua Rodrigo da Fonseca, a escassos metros de uma das maiores artérias de Lisboa. O mais recente projeto da consultora imobiliária Louvres Properties contempla 13 apartamentos de luxo, de tipologias T1 a T3 duplex, com áreas entre os 95 e os 425 m2, e ainda duas penthouses. Com a assinatura da Frederico Valsassina Arquitetos, as habitações do The Nest Lisbon começaram esta quinta-feira a ser vendidas e deverão estar concluídas no final do próximo ano.

O The Nest Lisbon trata-se de um empreendimento muito discreto por fora, o verdadeiro efeito surpresa está no interior”, diz Augusto Homem de Mello, da Louvres Properties.

“Gostamos que os nossos projetos tenham identidade. Neste caso, a denominação The Nest, palavra inglesa para ninho, porque o espaço e a imaginação permitiram que fossemos muito além do óbvio, criando um segundo bloco de apartamentos mais recuado e, protegidos pelos dois volumes, amplos espaços verdes e jardins com piscinas, um produto pouco comum mesmo no centro da cidade”, acrescenta.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

De escritórios a condomínio de luxo no centro de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião