Empresários discutem desafios e oportunidades económicas

  • ECO
  • 10 Abril 2018

Eurobic promove, esta quarta-feira, em Setúbal um fórum sobre as oportunidades e os desafios económicos que serão colocados, nos próximos anos. Empresários vão discutir o futuro dos vários setores.

Que oportunidades e desafios serão colocados à economia portuguesa, nos próximos anos? É esta a questão que servirá de mote à conferência promovida pelo Eurobic, esta quarta-feira, no Hotel do Sado Nature & Business, em Setúbal e da qual o ECO é parceiro.

Ao longo de quase duas horas, a presidente dessa Câmara Municipal (Maria das Dores Meira), a presidente da Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra (Lídia Sequeira), o presidente do Grupo Bacalhoa (Comendador José Berardo) e o administrador da RARI (Sérgio Ramos) estarão reunidos num painel sobre o desenvolvimento económico da região. Depois, já às 19h00, o presidente executivo do Eurobic ficará a cargo do remate do fórum.

Segundo o Programa de Estabilidade para até 2022 (documento que o Governo deve aprovar esta semana), espera-se que, nos próximos anos, a economia portuguesa cresça mais do que o inicialmente previsto. Para 2018 e 2019, por exemplo, a taxa de crescimento estimada é de 2,3%, um ligeiro abrandamento face aos 2,7% registados em 2017, o crescimento mais elevado da década.

Mas apesar da melhoria de perspetivas da economia nacional, de acordo com o Banco de Portugal, o crédito às empresas já viveu melhores dias. Em fevereiro, o total de novos créditos às empresas cifrou-se em 1.843 milhões de euros, o que representa um recuo de 37% face ao mesmo período do ano anterior. São as PME as maiores vítimas dessa tendência. Nunca estas pequenas e médias empresas receberam tão pouco dinheiro da banca.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresários discutem desafios e oportunidades económicas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião