Garrigues promove FashTech, o evento que junta moda e tecnologia

A Garrigues promove no próximo dia 17 de abril, na sua sede em Lisboa, o seminário FashTech -- o evento que alia moda e tecnologia e debate os desafios da transformação digital nesta indústria.

A Garrigues promove no próximo dia 17 de abril, na sua sede em Lisboa, o seminário FashTech — o evento que alia moda e tecnologia. O seminário, organizado pelo grupo de moda desta sociedade, vai versar sobre os desafios da transformação digital na indústria da moda.

Desde a invenção dos teares mecânicos de Cartwright até à aplicação da tecnologia blockchain na rastreabilidade do produto, moda e tecnologia são aliadas indispensáveis. Plataformas de intermediação, bitcoin, distribuição por meio de drones, potencial da tecnologia blockchain e da realidade aumentada, são algumas das temáticas que vão ser abordadas e discutidas.

A abertura do evento estará a cargo de João Miranda de Sousa, managing partner da Garrigues em Portugal, que conta também com uma participação no primeiro painel, subordinado ao tema “Os desafios da indústria da moda e do luxo online”.

O seminário vai contar ainda com oradores como Paulo Vaz, diretor geral da ATP Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, Helena Amaral Neto, professora do ISEG e coordenadora do programa Luxury Brand Management, Iria Gestal, editora-chefe da Modaes, Cristina Mesa e Lucía Campo, coordenadora e advogada do grupo de moda da Garrigues, respetivamente.

E ainda Gosia Pajkowska, especialista em Comunicação, Marketing e e-Commerce de moda, Neliana Fuenmayor, CEO de A Transparent Company, Helena Henriques, fashion retail area manager e Ana Ferreira Neves, associada principal da Garrigues.

 

Pode consultar mais informação detalhada do evento aqui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Garrigues promove FashTech, o evento que junta moda e tecnologia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião