Garrigues cria laboratório de ideias para promover inovação

  • ADVOCATUS
  • 8 Fevereiro 2018

A Garrigues implementou o Innovation Think Tank, um laboratório de ideias para canalizar de forma coletiva o esforço inovador que os profissionais da empresa já faziam individualmente.

A Garrigues implementou o Innovation Think Tank, um laboratório interno de ideias para canalizar de “forma coletiva o esforço inovador que os profissionais da empresa já faziam individualmente e, assim, promover o intercâmbio de ideias inovadoras em relação ao cliente e favorecer novas formas de pensar e trabalhar”, segundo comunicado do escritório.

No total, estão envolvidos 112 profissionais do escritório, entre os quais um grupo de advogados portugueses, que se ofereceram voluntariamente quando conheceram a iniciativa. Trata-se de pessoas de diversos escritórios da firma (nacionais e internacionais), com várias responsabilidades, idades e outros fatores, o que permite que a nova forma de trabalhar chegue a todos os cantos da empresa.

O objetivo do Innovation Think Tank é triplo:

  1. Pretende-se, por um lado, criar um ambiente que incentive o pensamento cruzado e que resulte em ideias inovadoras que contribuam para melhorar a experiência dos clientes com a Garrigues;
  2. Por outro lado, identificar os perfis mais comprometidos com a cultura da inovação que sempre prevaleceu no escritório;
  3. E, por fim, o laboratório de ideias está a impulsionar uma série de mudanças na forma de trabalhar, que de outro modo estariam a acontecer mais lentamente: o pensamento transversal, a cooperação entre áreas, escritórios, países e profissionais de diferentes categorias, a deteção de oportunidades para acelerar a inovação, entre outros.

A forma de trabalhar é estruturada em torno de diversos desafios que são resolvidos por equipas. Dos dois primeiros, surgiram cinquenta iniciativas ligadas à inovação no desenvolvimento de negócios e ao contacto com clientes e potenciais clientes.

A empresa já está a trabalhar na implementação de alguns delas (em particular, foram selecionadas treze, que se encontram em diferentes fases de estudo e desenvolvimento), que se referem, entre outras coisas, à procura de soluções para melhorar processos, de mecanismos para automatizar tarefas de rotina, da melhoria do serviço aos clientes, da promoção de certos serviços, etc.

Algumas destas iniciativas exigem desenvolvimento tecnológico, outras identificam formas de trabalhar que podem ser melhoradas, tanto internamente como em relação ao cliente.

"O InnovationThinkTank é um projeto com uma grande importância estratégica para o escritório. Na Garrigues, trabalha-se constantemente com vista à melhoria e modernização da relação com os clientes e do serviço que lhe prestamos, e estamos conscientes de que, frequentemente, as melhores ideias surgem da colaboração entre profissionais de diferentes áreas que não costumam ter a oportunidade de interatuar entre eles. Todas as ideias, sejam elas colocadas em prática ou não, são importantes. Trata-se de uma experiência enriquecedora em todos os aspetos.”

Fernando Vives

Presidente executivo da Garrigues

Fernando Vives, presidente executivo da Garrigues, que preside a comissão de inovação da firma e se reuniu pessoalmente com todas as equipas para conhecer as suas ideias em primeira mão, afirma que “o Innovation Think Tank é um projeto com uma grande importância estratégica para o escritório. Na Garrigues, trabalha-se constantemente com vista à melhoria e modernização da relação com os clientes e do serviço que lhe prestamos, e estamos conscientes de que, frequentemente, as melhores ideias surgem da colaboração entre profissionais de diferentes áreas que não costumam ter a oportunidade de interatuar entre eles. Todas as ideias, sejam elas colocadas em prática ou não, são importantes. Trata-se de uma experiência enriquecedora em todos os aspetos”.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Garrigues cria laboratório de ideias para promover inovação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião