Garrigues cria laboratório de ideias para promover inovação

  • ADVOCATUS
  • 8 Fevereiro 2018

A Garrigues implementou o Innovation Think Tank, um laboratório de ideias para canalizar de forma coletiva o esforço inovador que os profissionais da empresa já faziam individualmente.

A Garrigues implementou o Innovation Think Tank, um laboratório interno de ideias para canalizar de “forma coletiva o esforço inovador que os profissionais da empresa já faziam individualmente e, assim, promover o intercâmbio de ideias inovadoras em relação ao cliente e favorecer novas formas de pensar e trabalhar”, segundo comunicado do escritório.

No total, estão envolvidos 112 profissionais do escritório, entre os quais um grupo de advogados portugueses, que se ofereceram voluntariamente quando conheceram a iniciativa. Trata-se de pessoas de diversos escritórios da firma (nacionais e internacionais), com várias responsabilidades, idades e outros fatores, o que permite que a nova forma de trabalhar chegue a todos os cantos da empresa.

O objetivo do Innovation Think Tank é triplo:

  1. Pretende-se, por um lado, criar um ambiente que incentive o pensamento cruzado e que resulte em ideias inovadoras que contribuam para melhorar a experiência dos clientes com a Garrigues;
  2. Por outro lado, identificar os perfis mais comprometidos com a cultura da inovação que sempre prevaleceu no escritório;
  3. E, por fim, o laboratório de ideias está a impulsionar uma série de mudanças na forma de trabalhar, que de outro modo estariam a acontecer mais lentamente: o pensamento transversal, a cooperação entre áreas, escritórios, países e profissionais de diferentes categorias, a deteção de oportunidades para acelerar a inovação, entre outros.

A forma de trabalhar é estruturada em torno de diversos desafios que são resolvidos por equipas. Dos dois primeiros, surgiram cinquenta iniciativas ligadas à inovação no desenvolvimento de negócios e ao contacto com clientes e potenciais clientes.

A empresa já está a trabalhar na implementação de alguns delas (em particular, foram selecionadas treze, que se encontram em diferentes fases de estudo e desenvolvimento), que se referem, entre outras coisas, à procura de soluções para melhorar processos, de mecanismos para automatizar tarefas de rotina, da melhoria do serviço aos clientes, da promoção de certos serviços, etc.

Algumas destas iniciativas exigem desenvolvimento tecnológico, outras identificam formas de trabalhar que podem ser melhoradas, tanto internamente como em relação ao cliente.

"O InnovationThinkTank é um projeto com uma grande importância estratégica para o escritório. Na Garrigues, trabalha-se constantemente com vista à melhoria e modernização da relação com os clientes e do serviço que lhe prestamos, e estamos conscientes de que, frequentemente, as melhores ideias surgem da colaboração entre profissionais de diferentes áreas que não costumam ter a oportunidade de interatuar entre eles. Todas as ideias, sejam elas colocadas em prática ou não, são importantes. Trata-se de uma experiência enriquecedora em todos os aspetos.”

Fernando Vives

Presidente executivo da Garrigues

Fernando Vives, presidente executivo da Garrigues, que preside a comissão de inovação da firma e se reuniu pessoalmente com todas as equipas para conhecer as suas ideias em primeira mão, afirma que “o Innovation Think Tank é um projeto com uma grande importância estratégica para o escritório. Na Garrigues, trabalha-se constantemente com vista à melhoria e modernização da relação com os clientes e do serviço que lhe prestamos, e estamos conscientes de que, frequentemente, as melhores ideias surgem da colaboração entre profissionais de diferentes áreas que não costumam ter a oportunidade de interatuar entre eles. Todas as ideias, sejam elas colocadas em prática ou não, são importantes. Trata-se de uma experiência enriquecedora em todos os aspetos”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Garrigues cria laboratório de ideias para promover inovação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião