Quer melhorar a eficiência energética da sua casa? Use este portal

No site casaeficiente2020.pt, pode simular as poupanças ambientais e financeiras. Mas, atenção, há mais sites com o mesmo nome.

Melhoria da eficiência energética, utilizar energias renováveis, aumentar a eficiência hídrica, melhorar o desempenho ambiental em várias vertentes e gestão de resíduos urbanos. Estas são algumas das operações que podem ser financiadas pelo novo programa Casa Eficiente.

São 200 milhões de euros operacionalizados através da banca comercial mas com taxas de juro mais favoráveis. As condições finais vão ser definidas por cada um dos bancos que assinou o acordo esta sexta-feira com o Banco Europeu de Investimento (BEI) e, por isso, ainda não são conhecidas.

Mas para já, os interessados podem aceder ao site casaeficiente2020.pt para perceber se as obras que estão a pensar fazer são passíveis de serem financiadas pelo programa mas também para, simular as poupanças ambientais e financeiras que pode conseguir. O Portal, que é gratuito, permite ainda ainda aferir se a empresa que elaborou o orçamento está habilitada para realizar as intervenções previstas.

Outra das funcionalidades disponibilizadas pelo Portal “Casa Eficiente 2020” é permitir ao beneficiário gravar a informação carregada no Portal “Casa Eficiente 2020” para utilização posterior. “Caso as condições estabelecidas sejam verificadas, o Portal emite a Declaração “Casa Eficiente 2020”, que é utilizada para formalizar a candidatura junto dos bancos”, lê-se na apresentação do programa.

Mas atenção: há mais site com o mesmo nome

Os interessados em usar estes empréstimos com condições mais vantajosas devem, no entanto, ter em atenção que existem mais sites com o mesmo nome. Foi aliás esse o lapso cometido pelo ECO quando avançou que o Portal Casa Eficiente estava em baixo dada a afluência de visitantes. Uma simples pesquisa através de um qualquer motor de busca não permite chegar ao site oficial do programa, mesmo após percorridas várias páginas apresentadas pelo motor.

Quem pode concorrer?

De acordo com as regras definidas pelo programa podem candidatar-se a estes empréstimos bonificados particulares ou empresas que sejam proprietárias de um prédio residencial ou da sua fração autónoma a reabilitar. Mas os condomínios também são abrangidos.

“Pode candidatar-se a financiamento ao abrigo do Programa qualquer pessoa singular ou coletiva, de natureza privada que represente os condóminos ou os proprietários das frações autónomas, habilitando-o a promover a execução das intervenções”, lê-se na apresentação da Casa Eficiente.

Quem demonstre ser titular de direitos e poderes sobre o imóvel, que lhe permita promover a execução das intervenções, também pode aceder e as regras admitem ainda que “o beneficiário pode promover a execução das intervenções por si ou em conjunto com outros contitulares”.

Em causa estão empréstimos para trabalhos de construção civil e de engenharia, para a aquisição de equipamentos/materiais, sistemas de gestão e monitorização, tecnologias e software. Mas também para substituir eletrodomésticos, por modelos mais eficientes, isto se a despesa não for superior a 15% do montante de investimento total elegível da operação.

Os promotores do programa garantem que a candidatura é simples e que “qualquer proprietário/condomínio privado pode aceder com facilidade”. São necessários três passos para formalizar um pedido de empréstimo:

  • Escolher as intervenções desejadas, utilizando o Portal “Casa Eficiente 2020”;
  • Obter um orçamento de uma empresa inscrita no Diretório de Empresas Qualificadas;
  • Submeter a candidatura, com a Declaração “Casa Eficiente 2020” e o orçamento, junto de um dos bancos aderentes.

Caso a candidatura obtenha um parecer favorável é celebrado o contrato de empréstimo e podem ter início as obras de remodelação.

(Notícia atualizada com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quer melhorar a eficiência energética da sua casa? Use este portal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião