Lloyds vai fechar 49 balcões no Reino Unido e eliminar 1.230 postos de trabalho

  • Lusa
  • 17 Abril 2018

O banco liderado por Horta-Osório garantiu que simultaneamente está a criar 925 empregos noutras áreas de negócio, pelo que, insistiu, a saída total de trabalhadores “será de 305”.

O Lloyds Banking Group informou esta terça-feira que vai fechar 49 balcões no Reino Unido e eliminar 1.230 postos de trabalho.

O banco inglês explicou em comunicado que espera “redistribuir” todos os colaboradores envolvidos no fecho de quase meia centena de balcões “sempre que seja possível”.

O grupo garantiu que simultaneamente está a criar 925 empregos noutras áreas de negócio, pelo que, insistiu, a saída total de trabalhadores “será de 305”.

Um porta-voz do Lloyds disse que esta ação se deve “ao aumento dos canais móveis e digitais” e às necessidades dos clientes no seu “dia-a-dia”.

“Esta iniciativa surge como consequência de o número de clientes que visita os nossos balcões se ter reduzido nos últimos anos”, disse a mesma fonte à agência espanhola EFE.

O Lloyds Banking Group obteve um lucro de 3.547 milhões de libras (4.022 milhões de euros) em 2017, mais 41% face ao ano anterior, depois de ter melhorado o serviço aos clientes, segundo informou a instituição em fevereiro passado.

O presidente executivo do Lloyds, António Horta-Osório, disse que 2017 foi “um ano importante para a instituição”, já que em maio o Governo britânico concluiu a venda das ações que o Estado detinha no grupo financeiro, o que permitiu que este voltasse a ser propriedade privada.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lloyds vai fechar 49 balcões no Reino Unido e eliminar 1.230 postos de trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião