Lloyds vai fechar 49 balcões no Reino Unido e eliminar 1.230 postos de trabalho

  • Lusa
  • 17 Abril 2018

O banco liderado por Horta-Osório garantiu que simultaneamente está a criar 925 empregos noutras áreas de negócio, pelo que, insistiu, a saída total de trabalhadores “será de 305”.

O Lloyds Banking Group informou esta terça-feira que vai fechar 49 balcões no Reino Unido e eliminar 1.230 postos de trabalho.

O banco inglês explicou em comunicado que espera “redistribuir” todos os colaboradores envolvidos no fecho de quase meia centena de balcões “sempre que seja possível”.

O grupo garantiu que simultaneamente está a criar 925 empregos noutras áreas de negócio, pelo que, insistiu, a saída total de trabalhadores “será de 305”.

Um porta-voz do Lloyds disse que esta ação se deve “ao aumento dos canais móveis e digitais” e às necessidades dos clientes no seu “dia-a-dia”.

“Esta iniciativa surge como consequência de o número de clientes que visita os nossos balcões se ter reduzido nos últimos anos”, disse a mesma fonte à agência espanhola EFE.

O Lloyds Banking Group obteve um lucro de 3.547 milhões de libras (4.022 milhões de euros) em 2017, mais 41% face ao ano anterior, depois de ter melhorado o serviço aos clientes, segundo informou a instituição em fevereiro passado.

O presidente executivo do Lloyds, António Horta-Osório, disse que 2017 foi “um ano importante para a instituição”, já que em maio o Governo britânico concluiu a venda das ações que o Estado detinha no grupo financeiro, o que permitiu que este voltasse a ser propriedade privada.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lloyds vai fechar 49 balcões no Reino Unido e eliminar 1.230 postos de trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião