5 coisas que vão marcar o dia

Dia de discutir o Programa de Estabilidade no Parlamento, mas também de falar sobre fundos comunitários e de bancos. Em Espanha, o Santander apresenta as contas do trimestre.

O Programa de Estabilidade, em debate no Parlamento, centrará as atenções esta terça-feira, mas no campo da política económica há mais a acontecer. Enquanto os deputados debatem o documento com as novas metas orçamentais prometidas a Bruxelas, Vieira da Silva, ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social vai falar sobre fundos comunitários. Na banca, há o inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito no dia em que o Santander revela resultados.

Programa de Estabilidade chega ao Parlamento

Depois de ter sido entregue na Assembleia da República, bem como de ter sido apresentadas as metas com que o Governo se comprometeu com Bruxelas, o Programa de Estabilidade, bem como o Programa Nacional de Reformas, vão ser discutidos no Parlamento. Pela primeira vez nesta legislatura, o Programa de Estabilidade vai ser discutido ao mesmo tempo que quatro projetos de resolução. PSD, CDS, Bloco de Esquerda e PCP passaram das palavras aos atos e apresentaram projetos onde põem em causa a estratégia orçamental do Governo. Mas apenas o dos centristas pede a rejeição do documento.

Fundos comunitários. O que vai dizer Vieira da Silva?

Hoje é a vez do ministro Vieira da Silva ser ouvido na Comissão Eventual de Acompanhamento do Processo de Definição da “Estratégia Portugal 2030”, por onde já passou o ministro da Economia e o do Planeamento. Em causa está a negociação das perspetivas financeiras — o orçamento da União Europeia que vai depois alimentar os fundos que caberão a cada país –, nas quais Portugal quer assegurar um envelope financeiro idêntico ao que tem no atual quadro comunitário, o Portugal 2020. No acordo assinado entre o Governo e o PSD ficou definido que o país se vai bater por assegurar novamente 25 mil milhões.

Bancos vão dar mais crédito?

O Banco de Portugal vai revelar o resultado do mais recente inquérito aos bancos sobre o mercado de crédito. No último, os maiores bancos a operar no mercado português apontavam para um crescimento da procura por financiamento por parte das famílias, nomeadamente para a compra de casa e ao consumo. O que os bancos previram veio a concretizar-se. Será que continuam a ver a procura a aumentar? E estarão dispostos a conceder financiamentos com spreads mais baixos do que os atuais?

Altice tem novo centro de apoio. É inaugurado hoje

A Altice Portugal, em parceria com a Randstad, vai inaugurar o mais recente centro de apoio telefónico instalado na Covilhã, que já está em funcionamento desde fevereiro. Já conta com cerca de 100 trabalhadores em formação e outros já a trabalhar. A cerimónia de inauguração vai contar com a presença do secretário de Estado Adjunto e do Comércio, mas também com Alexandre Fonseca, CEO da Altice Portugal, e com o CEO da Randstad Portugal.

Santander revela contas. Depois será o Totta

O Grupo Santander vai apresentar os resultados referentes ao primeiro trimestre do ano. O dono do Totta em Portugal, que em breve passará a chamar-se Santander Portugal, registou, no ano passado, lucros de 6.619 milhões de euros, um crescimento face ao ano anterior apesar de a instituição liderada por Ana Botín ter registado 897 milhões de euros em encargos financeiros extraordinários com a integração do Banco Popular, banco que tinha adquirido por um euro.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião