De 30 para 5 milhões. Carlos Tavares quer rever resultados do Montepio

  • ECO
  • 26 Abril 2018

A equipa anterior apresentou um resultado de 30 milhões de euros. Mas Carlos Tavares, o agora presidente do Montepio, vai rever esses resultados para um valor que deve ficar abaixo dos cinco milhões.

O presidente do Montepio prepara-se para rever em baixa acentuada os resultados da instituição financeira. A equipa anterior apresentou um resultado de 30 milhões de euros, mas Carlos Tavares deverá rever esse resultado para um valor abaixo dos cinco milhões de euros, que ainda assim deverá manter-se positivo.

“O atual conselho de administração, responsável pelo fecho das contas, após a devida audição dos auditores e da comissão de auditoria, está a rever as contas de acordo com os seus próprios critérios de prudência“, afirmou fonte oficial da Caixa Económica Montepio Geral ao jornal Público [acesso condicionado]. Na apresentação das contas não auditadas de 2017, Félix Morgado revelou lucros de 30,1 milhões de euros, em comparação com um prejuízo de 86,5 milhões no mesmo período do ano anterior.

Contudo, como é habitual, quando uma nova gestão assume funções, os números apresentados pela equipa anterior são analisados pela atual. E acabam, muitas vezes, por serem revistos. Carlos Tavares, que assumiu o cargo de CEO e presidente do Montepio — a acumulação dos cargos será temporária — tem realizado reuniões com o Banco de Portugal e contactos frequentes com a auditora externa KPMG.

Nestes encontros, o banco liderado por Carlos Costa mostrou-se preocupado em relação ao reforço das imparidades, ao mesmo tempo que quer ver salvaguardados os rácios de capital. Foi por isso que Carlos Tavares decidiu aumentar o nível de imparidades no Montepio, o que tem impacto nos resultados. Vão manter-se positivos, mas longe dos 30 milhões revelados por Félix Morgado, em fevereiro.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

De 30 para 5 milhões. Carlos Tavares quer rever resultados do Montepio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião