Bruno de Carvalho garante que obrigações do Sporting são um investimento “muito seguro”

  • ECO
  • 30 Abril 2018

Conhecida a intenção do Sporting de adiar para depois de novembro o reembolso de obrigações que vencem a 25 de maio, Bruno de Carvalho vem agora dar garantias: são um investimento "muito seguro".

O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, defendeu esta segunda-feira que a situação financeira do clube não é má como se tem dito, garantindo que foi alcançado um “reequilíbrio” e uma “sustentabilidade associada a um crescendo de sucesso desportivo”. Num artigo de opinião publicado no Diário de Notícias, o gestor critica a “oposição” e a “cartilha” que, diz, está a tentar envenenar a opinião pública.

No artigo, Bruno de Carvalho elenca alguns objetivos que garante ter alcançado nos últimos anos. Entre eles está o “crescimento sustentado de todas as linhas de receitas comerciais”, assim como a “recuperação dos direitos económicos de 37 jogadores, permitindo que o Sporting CP fique com estas receitas ao invés de as ter de passar a terceiros”, totalizando uma receita de “cerca de 41 milhões de euros”. Além disso, diz ter conseguido o “melhor contrato de direitos” televisivos em Portugal, com a operadora Nos, assim como o “aumento do número de sócios” e do património do clube.

“Com tudo isto, o ativo da Sporting SAD ascende a 287 milhões de euros, o que duplica desde 2013, sendo que a valorização real dos ativos dos jogadores não está registada, pois os jogadores da formação estão avaliados em quase zero (facto ignorado por todos os pseudo-especialistas), pelo que este aumento é ainda mais significativo. O capital próprio é positivo em 17 milhões de euros, o que compara com o capital próprio negativo de 116 milhões de euros em 2013″, escreve o presidente dos “leões”.

Obrigações do Sporting são “um investimento melhor e muito seguro”, diz o presidente

Em meados de abril, numa altura em que Bruno de Carvalho e alguns jogadores do clube estavam de costas voltadas, soube-se que a SAD leonina vai propor em assembleia-geral adiar o reembolso de uma dívida de 30 milhões de euros em obrigações subscritas por 4.241 investidores. A dívida vence a 25 de maio, mas a administração vai propor aos credores que sejam reembolsados numa data nunca antes de novembro de 2018, como noticiou o ECO.

Em causa está uma emissão de obrigações que poderá ter sido prejudicada pelas polémicas à volta do clube e que não se realizou. Ainda assim, a 19 de abril, veio a público a intenção de a SAD do Sporting de avançar com nova emissão de dívida no valor de 60 milhões de euros até ao final do ano. Desse montante, 30 milhões servirão para pagar o reembolso do empréstimo que atingiria a maturidade este mês.

Agora, no artigo de opinião publicado esta segunda-feira, Bruno de Carvalho indica que “o Sporting sempre fez os empréstimos obrigacionistas em novembro”. “Fez em 2015 em maio pois atrasou-se o processo de reestruturação financeira. Este adiamento pretende acertar ‘o passo’ com essa data, a custos mais baixos”, argumenta o presidente.

Vem ainda apontar para uma “melhoria das condições da reestruturação financeira, não por necessidade de financiamento adicional pelos bancos (BCP/Novo Banco) ou por um falhanço da reestruturação, mas sim pelo sucesso da mesma”.

“No final das contas, a verdade é que um investimento em obrigações é bom independentemente da SAD, sendo que, inegavelmente, pois contra factos não existem argumentos, as do Sporting ainda se demonstram como um investimento melhor e muito seguro”, garante Bruno de Carvalho.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bruno de Carvalho garante que obrigações do Sporting são um investimento “muito seguro”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião