Carris testa pagamentos contactless nos autocarros de Lisboa

A Carris está a renovar os validadores dos autocarros, que têm quase 15 anos. Novos modelos já estão em teste e poderão permitir pagar contactless, com telemóvel ou cartão bancário.

A Carris está a implementar novos validadores em alguns autocarros que circulam em Lisboa. Estes novos aparelhos deverão permitir à operadora de transportes testar novos métodos de pagamento, como os cartões bancários contactless ou mesmo a Via Verde, renovando aparelhos que estão ao serviço da frota da empresa há já 15 anos.

Recentemente, alguns utentes começaram a notar a existência de novos validadores nos autocarros. Ao ECO, a Carris confirmou que está a “experimentar novos validadores para testar a sua adequação, a sua qualidade e fiabilidade, bem como as soluções visuais”. Se a empresa decidir implementar estes novos aparelhos, poderá estudar a hipótese de permitir pagamentos contactless com o cartão bancário ou com sistemas idênticos aos da Via Verde, confirmou a empresa.

“Procura-se que estes validadores suportem os mais modernos tipos de tecnologia e também de pagamentos sem contacto. Deste modo, estaremos aptos, do ponto de vista técnico, a utilizar serviços semelhantes ao da Via Verde ou do pagamento com cartões bancários contactless, se as condições comerciais praticadas o justificarem no encontro do interesse da Carris”, disse fonte oficial da empresa, numa resposta às questões enviadas pelo ECO.

A empresa indica também que, caso estes novos validadores, que estão a ser testados, cumpram os objetivos da companhia, será lançado “em breve” um “caderno de encargos para compra de novos validadores para toda a frota” da empresa.

Validar com o telemóvel está cada vez mais perto

Em fevereiro do ano passado, a Via Verde anunciou que está a desenvolver uma aplicação para permitir validar e pagar os transportes públicos de Lisboa com recurso ao telemóvel.

Ao que o ECO apurou, o programa piloto ainda está em curso na Transtejo: há uma aplicação para telemóvel que permite validar as viagens com recurso a uma tecnologia de Bluetooth a baixa energia. O objetivo era, e ainda é, expandir a solução a todos os utentes, tanto na Transtejo como também no Metro e na Carris.

O ECO perguntou à Carris se vão ser estes novos validadores a viabilizar essa nova função, o que representaria um avanço no programa piloto que a Via Verde está a levar a cabo em Lisboa. Mas, segundo fonte oficial da Carris, “para as validações com o telemóvel terão de ser consideradas várias tecnologias”.

“Os atuais validadores já suportam o uso de telemóveis, se utilizarmos a tecnologia NFC. Ou seja, para implementar soluções com BLE [Bluetooth a baixa energia] não seria necessário investir em novos validadores. Bastaria acrescentar o módulo BLE. No entanto, dado o envelhecimento dos equipamentos, deixou de ser possível obter peças para as operações de reparação e manutenção e, por essa razão, teremos de adquirir novos validadores”, explicou a empresa.

“A Carris considera que é tempo de renovar os validadores e apetrechar os veículos para outras soluções de ticketing, para além do mobile ticketing ou a validação de cartões bancários”, disse.

O ECO contactou a Via Verde para apurar que desenvolvimentos teve o programa piloto desde que foi anunciado à comunicação social há mais de um ano. No entanto, não obteve resposta a tempo da publicação deste artigo. A aplicação da Via Verde é também um projeto desenvolvido em parceria com a empresa de processamento de pagamentos SIBS e a tecnológica Novabase.

Comentários ({{ total }})

Carris testa pagamentos contactless nos autocarros de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião