Bloco de Esquerda vota contra aumento do período experimental

  • ECO
  • 26 Maio 2018

Se o PCP também chumbar esta medida, aprovação no Parlamento vai depender do PSD. Medida abrange trabalhadores à procura do primeiro emprego e desempregados de longa duração.

O Bloco de Esquerda está contra o alargamento do período experimental para jovens à procura de primeiro emprego e desempregados de longa duração, escreve o Público este sábado [acesso condicionado]. A medida foi apresentada esta semana e, se o Governo a incluir no pacote laboral que será discutido a 6 de julho no Parlamento, terá o voto contra dos bloquistas.

O PCP ainda não quer pronunciar-se sobre o assunto, mas já se sabe que a medida não agradou à CGTP. Caso BE e PCP votem contra, só o voto favorável ou a abstenção do PSD permitirá que o alargamento do período experimental avance na Assembleia da República.

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, apresentou esta proposta na quinta-feira aos parceiros sociais, argumentando que o objetivo é evitar que o contrato a termo seja usado como período experimental, como acontece agora, e estimular a inserção no mercado de trabalho destas pessoas. Mas José Soeiro, deputado do Bloco de Esquerda, avisa: “Somos contra essa proposta e agiremos em conformidade. Por nós não será aprovada”.

“Achamos que é uma medida de discriminação negativa. A promoção do emprego de jovens e desempregados não passa por atribuir-lhes um estatuto laboral menor, opomo-nos a essa lógica”, critica ainda o bloquista.

Comentários ({{ total }})

Bloco de Esquerda vota contra aumento do período experimental

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião