Bloco de Esquerda vota contra aumento do período experimental

  • ECO
  • 26 Maio 2018

Se o PCP também chumbar esta medida, aprovação no Parlamento vai depender do PSD. Medida abrange trabalhadores à procura do primeiro emprego e desempregados de longa duração.

O Bloco de Esquerda está contra o alargamento do período experimental para jovens à procura de primeiro emprego e desempregados de longa duração, escreve o Público este sábado [acesso condicionado]. A medida foi apresentada esta semana e, se o Governo a incluir no pacote laboral que será discutido a 6 de julho no Parlamento, terá o voto contra dos bloquistas.

O PCP ainda não quer pronunciar-se sobre o assunto, mas já se sabe que a medida não agradou à CGTP. Caso BE e PCP votem contra, só o voto favorável ou a abstenção do PSD permitirá que o alargamento do período experimental avance na Assembleia da República.

O ministro do Trabalho, Vieira da Silva, apresentou esta proposta na quinta-feira aos parceiros sociais, argumentando que o objetivo é evitar que o contrato a termo seja usado como período experimental, como acontece agora, e estimular a inserção no mercado de trabalho destas pessoas. Mas José Soeiro, deputado do Bloco de Esquerda, avisa: “Somos contra essa proposta e agiremos em conformidade. Por nós não será aprovada”.

“Achamos que é uma medida de discriminação negativa. A promoção do emprego de jovens e desempregados não passa por atribuir-lhes um estatuto laboral menor, opomo-nos a essa lógica”, critica ainda o bloquista.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bloco de Esquerda vota contra aumento do período experimental

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião