Alemanha volta a pedir extradição de Puigdemont

As autoridades alemãs solicitaram novamente a extradição do ex-presidente da Catalunha, pedindo ainda a sua prisão, alegando que há risco de fuga.

O Ministério Público da Alemanha voltou a pedir a extradição de Carles Puigdemont, justificada por rebelião e desvio de fundos públicos. Ainda que as provas não sejam conclusivas, são o suficiente para provar que houve incitação à violência, de acordo com o El Confidencial (conteúdo em espanhol).

Esta sexta-feira, para além de solicitar a extradição do ex-presidente da Catalunha, o tribunal regional do estado de Schleswig-Holstein avançou ainda com um pedido de prisão por risco de fuga, mesmo sem ser conhecida a decisão do primeiro pedido.

De acordo com o jornal espanhol, estas medidas acontecem na sequência do anúncio preliminar da semana passada, em que o mesmo tribunal avançou com a decisão de cumprir a ordem emitida pelo Supremo Tribunal espanhol. A palavra final sobre a extradição de Carles Puigdemont será do tribunal regional de Schleswig-Holstein.

Conforme defende o Ministério Público, de acordo com a lei do país, os atos cometidos pelo ex-presidente correspondem a “crimes de alta traição”. Neste sentido, o tribunal regional disse ter em conta todas essas razões apresentadas pela Procuradoria e afirmou que vai tomar uma decisão ainda este mês.

O Ministério Público alemão considera que o uso de fundos públicos para organizar o referendo foi provado e, por isso, não há nenhum entrave à extradição de Puigdemont.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Alemanha volta a pedir extradição de Puigdemont

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião