Governo estima que aumentou o número de pessoas a pagar IRS

O secretário de Estados dos Assuntos Fiscais estima que o número de pessoas que terão de reembolsar o Estado cresceu ligeiramente este ano.

O prazo de entrega da declaração de IRS só termina esta sexta-feira, mas o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais já estima que o número de pessoas que terão de reembolsar o Estado cresceu este ano. “A expectativa é de que o número de notas de cobrança tenha aumentado ligeiramente, mas esse é um número que só pode ser fechado no final de todas as liquidações”, sublinha António Mendonça Mendes, em declarações à RTP 3.

O governante faz um balanço “muito positivo” da operação em causa, notando que “praticamente todas as declarações já foram entregues” — cerca de cinco milhões de contribuintes já entregaram as suas declarações de IRS, garante o secretário de Estado.

No que diz respeito à entrega obrigatória do IRS pela Internet, Mendonça Mendes elogia o esforço das juntas de freguesia no sentido de ajudar os contribuintes com maiores dificuldades a nível tecnológico: foram mais de mil as que se converteram em centros de apoio, garante.

Este ano, pela primeira vez, a entrega da declaração teve de ser feita obrigatoriamente através do Portal das Finanças. Além das juntas de freguesia, também os Serviços Locais de Finanças e os Espaços Cidadão prestaram apoio aos contribuintes com maiores dificuldades neste processo.

Esta sexta-feira, termina o prazo de entrega do IRS, depois de o Executivo ter alargado este período. Quem falhar a entrega, arrisca-se a ser punido com uma multa que pode ir até 3.750 euros. As boas notícias são que se está abrangido pelo IRS automático, a entrega será feita findo o prazo, sem qualquer esforço da sua parte.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo estima que aumentou o número de pessoas a pagar IRS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião