Associação Mutualista: Oposição a Tomás Correia faz primeiro ensaio público esta semana. Campos e Cunha presente

Luís Campos e Cunha, antigo ministro das Finanças, será um dos intervenientes nas Jornadas de Reflexão Mutualista que um grupo de membros da Associação Mutualista organiza esta semana.

Começa a ganhar forma a lista única que deverá concorrer contra Tomás Correia nas próximas eleições para a liderança da Associação Mutualista Montepio Geral. E o movimento alternativo conta agora com mais um nome de peso: Luís Campos e Cunha. O ex-ministro das Finanças será um dos oradores na primeira sessão das Jornadas de Reflexão Mutualista – Juntos pelo Montepio, que terá lugar esta quinta-feira, em Lisboa.

Esta sessão de debate será uma espécie de primeiro ensaio público para a formação de uma lista única alternativa ao atual presidente da Associação Mutualista e que incluirá membros das listas derrotadas nas últimas eleições, nomeadamente António Godinho, Bagão Félix, Eugénio Rosa, Manuel Rogério, entre outros associados descontentes.

Entre os nomes que agora se associam a este movimento estão o do antigo ministro das Finanças do Governo de José Sócrates e antigo vice-governador do Banco de Portugal, Luís Campos e Cunha. Será ele o moderador do debate que se realizará pelas 17h45, no Auditório Montepio Geral, em Lisboa. Mas há mais nomes relevantes se juntam ao debate. Fernando Ribeiro Mendes, administrador dissidente que defendeu um virar de página na Associação Mutualista, faz parte da lista de oradores que conta ainda com o vice-presidente da Cruz Vermelha Alexandre Abrantes, o economista Eugénio Rosa e ainda a advogada Lúcia Gomes.

“É o momento apropriado para refletirmos sobre os caminhos futuros do mutualismo e quais as formas como com independência, solidariedade e espírito de cidadania pretendemos fortalecer a ideia mutualista e o Montepio”, lê-se no convite enviado pelo Grupo de Reflexão Mutualista, composto pelos conselheiros António Pimenta, Carlos Areal, Viriato Silva, entre outros.

“Teremos oportunidade de ouvir diferentes perspetivas sobre o associativismo e sobre o mutualismo que se enquadram na necessidade de procurar novas soluções que sirvam os 620.000 associados e que permitam continuar a aumentar a importância do mutualismo no futuro”, acrescenta a nota.

Teremos oportunidade de ouvir diferentes perspetivas sobre o associativismo e sobre o mutualismo que se enquadram na necessidade de procurar novas soluções que sirvam os 620.000 associados e que permitam continuar a aumentar a importância do mutualismo no futuro.

Grupo de Reflexão Mutualista

Além da sessão em Lisboa, aquele grupo de conselheiros agendou um outro debate para o Porto, no dia 21. Terá lugar no Ateneu Comercial do Porto, também a partir das 17h45.

Os membros do Conselho Geral da Associação Mutualista, incluindo o presidente Tomás Correia, foram convidados a participar nestas jornadas, bem como todos os associados.

As eleições para os vários órgãos sociais da mutualista ocorrerão em dezembro. Nas últimas eleições, realizadas em 2015, Tomás Correia foi eleito presidente com 61% dos 57.800 associados que foram votar — isto de um universo de cerca de 630 mil associados.

Comentários ({{ total }})

Associação Mutualista: Oposição a Tomás Correia faz primeiro ensaio público esta semana. Campos e Cunha presente

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião