PCP segue CDS. Também quer baixar preços dos combustíveis

  • Lusa
  • 11 Junho 2018

O partido vai apresentar iniciativas legislativas próprias para baixar o preço dos combustíveis, além de pedidos de audições urgentes no parlamento ao ministro da Economia e outros responsáveis.

O dirigente comunista Vasco Cardoso anunciou esta segunda-feira que o PCP vai apresentar iniciativas legislativas próprias para baixar o preço dos combustíveis, além de pedidos de audições urgentes no parlamento ao ministro da Economia e outros responsáveis.

“O PCP considera que é necessário e possível reduzir no imediato o preço dos combustíveis e tomará as iniciativas legislativas necessárias à sua concretização. Desde logo, pondo fim à dupla tributação do IVA, que incide sobre o gasóleo e a gasolina, mas também exigindo do Governo a não aplicação do chamado adicional ao Imposto Sobre Produtos Petrolíferos (ISP), assegurando a neutralidade fiscal com que se comprometeu”, disse.

O membro da comissão política do Comité Central do PCP falava em conferência de imprensa, na sede partidária, Lisboa, e adiantou que o grupo parlamentar vai requerer audições ao ministro da Economia, ao secretário de Estado dos Assuntos Fiscais e à Autoridade da Concorrência.

Na sexta-feira, o CDS anunciara uma iniciativa legislativa para eliminar o denominado imposto adicional sobre a gasolina e o gasóleo criado em 2016 pelo atual Governo, quando os preços do petróleo atingiram níveis historicamente baixos, a fim de compensar as perdas de receita em sede de IVA, com um mecanismo de atualização trimestral para ajustar os impostos tendo em conta as cotações internacionais do preço do petróleo, o qual aumentou entretanto.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PCP segue CDS. Também quer baixar preços dos combustíveis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião