EDP encaixa 641 milhões com venda de défice tarifário

  • ECO
  • 12 Junho 2018

A EDP voltou ao mercado para se financiar, desta vez através da venda de mais uma "fatia" do défice tarifário. Colocou mais de 600 milhões de euros.

A EDP vendeu mais uma “fatia” do défice tarifário. A Tagus comprou à elétrica liderada por António Mexia dívida num valor superior a 600 milhões de euros, sendo que para adquirir estes títulos irá realizar uma emissão que pagará um cupão de 1,1%.

“A EDP Serviço Universal, comercializador de último recurso do sistema elétrico português, detido a 100% pelo Grupo EDP, acordou ceder, de forma plena e sem recurso, à Tagus – Sociedade de Titularização de Créditos uma parcela do Défice Tarifário de 2018, no montante de 641 milhões de euros“, afirma a elétrica num comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

“O défice tarifário de 2018 resultou do diferimento por cinco anos da recuperação do sobrecusto de 2018 (incluindo ajustamentos de 2016 e 2017) relacionado com a aquisição de energia aos produtores em regime especial”, explica a empresa.

A Tagus financiará a aquisição desta parcela do défice tarifário através da emissão de 650 milhões de euros de instrumentos de dívida sénior, “dos quais 5% serão retidos pela EDP SU (para cumprir com as regras de retenção Europeias e dos Estados Unidos), com uma yield de 1,1%, cupão de 1,1%, e rating esperado de A1/A-, atribuído pela Moody’s e Fitch, respetivamente”.

A StormHarbour Securities LLP atuou como sole arranger e o Banco Santander Totta, S.A. e StormHarbour Securities LLP actuaram como joint lead managers da transação.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

EDP encaixa 641 milhões com venda de défice tarifário

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião