Compta cria centro de desenvolvimento na Maia para 36 colaboradores

A tecnológica portuguesa muda-se para a Maia onde inaugura, esta quinta-feira, um novo centro de desenvolvimento para 30 colaboradores. Até ao final do ano número aumenta para 36.

A tecnológica portuguesa Compta abre esta quinta-feira um novo centro de desenvolvimento no Parque da Ciência e Tecnologia da Maia (Tecmaia) para suporte de clientes empresariais e para uma unidade de I&D.

O novo centro, onde trabalham 30 pessoas, resulta de um investimento de 100 mil euros e traduz-se numa mudança de instalações de Alfena para a cidade maiata.

Para o novo centro serão ainda canalizados novos colaboradores num total de seis até ao final do ano. No total a Compta emprega 240 pessoas.

Jorge Delgado, presidente executivo da Compta, adianta em declarações ao ECO que na base da mudança estão “a melhoria de condições para os trabalhadores, a redução de custos e a maior proximidade com os centros de investigação e de saber”.

Jorge Delgado afirma ainda que “a juntar a esta razão acresce a maior centralidade, um aspeto importante na medida em que estamos a crescer na nossa base de clientes”.

De acordo com Delgado, o novo centro da Tecmaia representa 15% dos proveitos do grupo. A Compta, que detém cinco centros de inovação no país, fechou o ano de 2017 com proveitos de 32 milhões, mas tem perspetivas de crescimento.

Para Jorge Delgado serão os mercados internacionais a impulsionar o crescimento da Compta, devendo este crescer cerca de 20%, até 2019.

“A Compta continuar a desenvolver e a construir uma rede de parcerias que neste momento se estendem a 27 geografias”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Compta cria centro de desenvolvimento na Maia para 36 colaboradores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião