Nasceu mais um gigante. É o Q8 da Audi

Se o Q7 já impunha respeito, que dizer do novo SUV da marca das argolas? É um gigante, mas disfarça com as linhas que imitam um coupé. E deslumbra com a faixa de LED que une as luzes na traseira.

Um Q, dois Q, três, quatro e, agora, o quinto Q. É o 8, um gigante que em breve vai chegar às estradas. O novo SUV da Audi é maior que o Q7, mas disfarça com as linhas ao estilo de um coupé. A imponência, essa, está bem vincada na dianteira, com uma grelha de grandes dimensões, enquanto na traseira salta à vista o requinte, com a faixa de LED que une as luzes na traseira a ser a estrela da marca das argolas.

São praticamente cinco metros de uma ponta à outra deste SUV que vem reclamar o título de topo de gama, “roubando-o” ao Q7. Mas se o comprimento impressiona, há outros números que revela a verdadeira dimensão deste novo modelo: quase três metros entre eixos, dois metros de largura e 1,71 de altura. Tradução: é grande, largo, mas… baixo.

O novo “monstro” das estradas “assusta” com uma “boca” que domina quase toda a dianteira. É a proeminente grelha do radiador com seis lâminas verticais cromadas que ostenta, no centro, o símbolo da marca. Ladeada das grandes entradas de ar, confere ao Q8 um look que dificilmente passará despercebido. E a assinatura de luz, em LED, também não.

Mas se à frente se fica deslumbrado com as luzes, é atrás que a marca marca pontos. O Q8 traz uma faixa de luz que liga os faróis na parte traseira que, tal como no Audi quattro original, tem na base uma superfície preta. É uma solução estética que a fabricante já tinha utilizado no A8, mas que brilha neste Q8.

Este aspeto high end no exterior é complementado pelo interior. Além do luxo a bordo, salta logo à vista os vários ecrãs que a marca aplicou neste seu novo topo de gama. Há um ecrã de 10,1 polegadas para controlar os sistemas de info-entretenimento e de navegação a que se junta outro de 8,6 polegadas colocado abaixo para o aquecimento e ar condicionado.

E por trás do volante há ainda outro, que substitui os tradicionais manómetros. É neste que se tem informação sobre todos os aspetos da condução, nomeadamente a velocidade. E apesar de estarmos a falar de um SUV, o mostrador é capaz de apresentar valores a que não se está muito habituado neste tipo de veículos. É que os motores prometem.

Quando for lançado no mercado, o Q8 contará com um 3.0 TDI de 386 cv, que será denominado de 50 TDI. Só mais tarde se junta o 45 TDI, com 231 cv e a opção a gasolina, neste caso através de um motor V6. A marca das argolas vai disponibilizar neste SUV 55 TFSI capaz de debitar 340 cv. E que promete dar voz ao “monstro”.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Nasceu mais um gigante. É o Q8 da Audi

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião