Lisboa sobe pela primeira vez esta semana. Jerónimo Martins lidera ganhos

Devido a falhas na difusão da informação, a cotação de abertura foi conhecida 35 minutos depois da abertura. O PSI-20 avança, com a Jerónimo Martins e o BCP à frente.

Após quatro inícios de sessão em terreno negativo, Lisboa conseguiu dar a volta e começar o dia de quarta-feira a registar ganhos. Nos primeiros momentos de negociação, e devido a falhas na difusão da informação, não foi possível saber qual a variação do principal índice nacional.

Contactada pelo ECO, a Euronext afirmou existirem “problemas de difusão do valor do índice”, mas não no cálculo, sendo que 18 cotadas estavam a negociar e só três em terreno negativo. Trinta e cinco minutos depois, o PSI-20 despertou, subindo 0,39% para 5.562,92 pontos.

O BCP e a Jerónimo Martins são os principais motores do principal índice nacional, ao avançarem mais de 1%. O banco liderado por Miguel Maya ganha 1,01% para 27,09 cêntimos, enquanto a Jerónimo Martins avança 1,96% para 13,02 euros.

Como noticia esta quarta-feira o Público, o BCP vai recusar-se a conceder créditos aos clubes de futebol nacionais, para assim reduzir a exposição a este setor que tem revelado pouca estabilidade.

Destaque positivo ainda para a Galp Energia, que segue a valorizar 0,82% para 15,89 e a Sonae, que ganha 0,63% para 1,11 euros. Em terreno negativo seguem a Navigator, a Altri e a Corticeira Amorim, todas com desvalorizações acima de 1%.

Lisboa segue assim o caminho do resto da Europa, que conseguiu pôr um ponto final à pressão vendedora que se instalou com o agravar das tensões entre os Estados Unidos e a China. O agregador Stoxx 600 avança 0,5%, enquanto o espanhol IBEX-35 ganha 0,8%. O alemão DAX valoriza 0,5%.

(Notícia atualizada às 8h37 com a cotação de abertura)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa sobe pela primeira vez esta semana. Jerónimo Martins lidera ganhos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião