Banco de Portugal dá início à liquidação do Banif

Depois de o Banco Central Europeu ter revogado a autorização do Banif para o exercício de atividade como instituição de crédito, o Banco de Portugal deu início à liquidação do banco.

O Banco de Portugal já deu início à liquidação judicial do Banif, isto depois de o Banco Central Europeu (BCE) ter revogado a autorização do banco para o exercício da atividade de instituição de crédito.

“No dia 22 de maio de 2018, o Banco Central Europeu revogou a autorização do Banif para o exercício da atividade de instituição de crédito. A decisão de revogação da autorização do Banif implica a dissolução e a entrada em liquidação do banco, em conformidade com o disposto nos números 1 e 2 do artigo 5.º do Decreto-Lei n.º 199/2006, de 25 de outubro”, lê-se num comunicado publicado esta segunda-feira pelo supervisor português.

“Desta forma, o Banco de Portugal requereu, nos termos da lei, junto do tribunal competente, o início da liquidação judicial do Banif“, acrescenta o comunicado.

O Banco de Portugal agradece à administração do Banif, que foi nomeado após a resolução de 20 de dezembro de 2015, a “dedicação e competência demonstradas no exercício das suas funções, em condições particularmente complexas”.

Passam dois anos e meio desde que o supervisor liderado por Carlos Costa decidiu a resolução do grupo Banif e a divisão do banco por três entidades: o Santander Totta, Oitante e Banif. No caso do Banif, após a divisão do grupo, reunia um conjunto de ativos, passivos e elementos extrapatrimoniais ligados a entidades do próprio grupo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Banco de Portugal dá início à liquidação do Banif

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião