Salário mínimo acima dos 600 euros? Governo está disponível

  • ECO
  • 27 Junho 2018

Depois de a CIP ter garantido que os patrões podem surpreender e propor uma subida do salário mínimo acima da meta do Governo, o Secretário de Estado mostra-se disponível a rever o valor previsto.

A subida do salário mínimo nacional para os 600 euros no próximo ano ainda não está fechada, garante o Secretário de Estado do Emprego, citado pelo Diário de Notícias. Depois de o presidente da Confederação Empresarial Portuguesa (CIP) ter admitido, este sábado, que essa meta pode ser ultrapassada, o Executivo de António Costa mostra-se agora disponível para um aumento superior ao esperado.

O Governo nunca foi para nenhum debate sobre o salário mínimo com um valor inteiramente fechado”, sublinha Miguel Cabrita, em declarações aos jornalistas à margem da apresentação pública do Relatório sobre Emprego e Formação de 2017.

No programa do Governo, o “compromisso” indicado é o de chegar os 600 euros brutos mensais a 1 de janeiro de 2019, isto é, o de uma subida de 20 euros face aos 580 euros atualmente em vigor. O governante mostra-se, no entanto, aberto a um aumento superior ao previsto desde que os parceiros sociais concordem e se reúnam as condições económicas para tal.

“O Governo tem uma meta, mas vamos passo a passo. O debate ainda não abriu na concertação social, há de chegar a seu tempo”, realça ainda o governante.

Este sábado, o presidente da CIP assumiu que os patrões poderão “surpreender” e propor um valor superior àquele sugerido pelo Executivo para o salário mínimo de 2019. “[Pode] haver uma surpresa e não ficarmos confinados a um valor de 600 euros”, disse António Saraiva, em entrevista ao Jornal de Negócios e à Antena 1.

A Confederação de Comércio e Serviços de Portugal (CCP) também já reagiu a este comentário da CIP, garantindo que a proposta em causa ainda não foi discutida com os demais parceiros sociais. “Não foi pela Confederação do Comércio e Serviços discutida, ou sequer considerada, qualquer proposta de aumento do Salário Mínimo para 2019 acima da proposta que consta do programa de Governo”.

Segundo o Ministério do Trabalho, no final do ano passado quase 700 mil pessoas recebiam o salário mínimo nacional.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Salário mínimo acima dos 600 euros? Governo está disponível

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião