Ex-primeiro-ministro da Malásia é detido por suspeitas de corrupção

  • ECO
  • 3 Julho 2018

O ex-primeiro-ministro da Malásia será julgado na próxima quarta-feira, no âmbito da investigação sobre o fundo 1MDB. O atual primeiro-ministro quer recuperar o dinheiro que desapareceu do fundo.

Najib Razak, ex-primeiro-ministro da Malásia, foi detido esta terça-feira por suspeitas de corrupção. De acordo com a agência Reuters, Razak será julgado amanhã, dia 4 de julho, no âmbito da investigação sobre o fundo 1Malaysia Development Berhad (1MDB) e desaparecimento de dinheiro.

No passado mês de junho, Mahathir Mohamad, atual primeiro-ministro da Malásia, disse à agência noticiosa britânica que subornou com dinheiro do Governo está entre as acusações que a Malásia estava a tentar fazer contra o ex-primeiro-ministro. Mohamad reabriu as investigações com o objetivo de recuperar o dinheiro que desapareceu do fundo.

As autoridades revelaram na passada segunda-feira que a investigação levou ao congelamento de 408 contas bancárias, o que faz um montante total de 1,1 mil milhões de ringgit, o que equivale a 230 milhões de euros. As contas congeladas são de pessoas e empresas suspeitas de terem recebido fundos do 1MDB. “Acredita-se que as contas estão relacionadas com a apropriação indevida e má utilização de fundos do 1MDB”, afirmam os responsáveis pela investigação, citados pela Reuters.

Desde a derrota eleitoral para o atual primeiro-ministro, em maio, que Najib Razak está impedido de deixar o país e teve as suas casas revistadas, como parte da investigação sobre o 1MDB.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ex-primeiro-ministro da Malásia é detido por suspeitas de corrupção

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião