Fisco investiga 90 transferências de jogadores e treinadores de futebol

  • ECO
  • 5 Julho 2018

Desde o ano passado que decorre uma investigação sobre possíveis esquemas fraudulentos com o objetivo de "camuflar" rendimentos sujeitos a IRS.

O Ministério das Finanças tem estado a investigar, desde o ano passado, vários processos de transferências de jogadores e treinadores de futebol, com base em suspeitas de esquemas abusivos usados para ocultar rendimentos sujeitos a IRS, adianta a Renascença e o Jornal de Notícias. A informação foi publicada no relatório anual de combate à fraude e evasão fiscal, que vem mostrar “a preocupação” da entidade sobre este assunto, lê-se no documento.

O Ministério das Finanças “tem vindo a investigar os negócios do futebol profissional, numa perspetiva da deteção de situações de fraude, tendo instaurado 90 processos, com vista à análise dos negócios relativos à contratação/transferência de jogadores e técnicos”, conforme consta no relatório publicado esta quarta-feira no site do Parlamento. Um acompanhamento que remonta a 2016.

Explicando que “o setor do desporto em geral e do futebol em particular tem vindo a ser uma preocupação” para a unidade antifraude da Autoridade Tributária, a mesma adianta que os esquemas funcionam através de “comissões de intermediação e direitos de imagem e as suspeitas da existência de negócios simulados, com interposição de sociedades, com vista a ‘camuflar’ rendimentos sujeitos a IRS”.

A entidade está ainda a colaborar com Espanha, uma vez que há o “envolvimento de outras jurisdições nos processos em análise”, para além de outros 16 países que foram notificados para ajudar na investigação. Não houve, até agora, possíveis nomes envolvidos nos processos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fisco investiga 90 transferências de jogadores e treinadores de futebol

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião