Ao fim de um ano, lisboetas e portuenses andaram um mês em transportes públicos

Quem anda de autocarro, metro, comboio ou barco em Lisboa e no Porto passa uma média de 30 dias por ano dentro destes transportes. Os cálculos são feitos com base em dados do INE.

De autocarro, metropolitano, comboio ou barco, o resultado será sempre o mesmo: quem anda de transportes públicos em Lisboa e no Porto demora mais do dobro do tempo do que quem percorre a mesma distância num transporte individual. Ao final de um ano, o tempo passado por lisboetas e portuenses em transportes públicos chega a ser de um mês.

As contas são feitas com base nos dados divulgados, esta semana, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no relatório com os resultados provisórios do inquérito à mobilidade nas áreas metropolitanas do Porto e de Lisboa. O estudo conclui que o transporte individual motorizado, sobretudo o automóvel, é o principal meio de transporte utilizado nas deslocações realizadas pelos residentes em Lisboa e no Porto (59,8% e 69%, respetivamente).

Já os transportes públicos foram o principal meio de deslocação para apenas 11,1% na área metropolitana do Porto e para 15,8% em Lisboa. O INE ressalva que “estes resultados estão condicionados pelo elevado número de deslocações a pé, bem como pelo recurso a meios distintos”.

A justificar a preferência pelo transporte individual estão, em primeiro lugar, a “rapidez” e o “conforto” que o mesmo permite. Mas o facto de a rede de transportes públicos não ter ligação direta ao destino, não representar uma alternativa ou não apresentar a “frequência ou fiabilidade necessárias” também são motivos que pesam na decisão de grande parte dos residentes de Lisboa e Porto que têm de deslocar-se.

Certo é que qualquer um dos transportes públicos demora muito mais tempo a percorrer a mesma distância do que um carro ou uma mota.

O INE dá conta de que quem anda de transportes na Área Metropolitana do Porto faz uma média de 2,72 deslocações por dia. Quem anda de carro nesta zona demora uma média de 18 minutos por cada deslocação que faz. Significa isto que quem anda de carro no Porto passa 48,96 minutos por dia a conduzir… ou 5,71 horas por semana, ou ainda 12,41 dias por ano, assumindo que conduziu todos os dias do ano (11,39 dias se se descontar um mês de férias).

O cenário é bem diferente nos transportes públicos. Assumindo a mesma média de 2,72 deslocações por dia, e considerando que quem anda de autocarro na Área Metropolitana do Porto demora uma média de 40,6 minutos por cada deslocação, as pessoas que recorrem a este transporte passam 110,43 minutos (quase duas horas) por dia dentro dele. É o equivalente a 12,88 horas por semana ou 27,99 dias por ano. Se se descontar um mês de férias em que os transportes públicos poderão não ser utilizados, a conta baixa para 25,69 dias por ano.

Um ano de transportes no Porto: 12 dias a conduzir, um mês no autocarro

O mesmo se passa na Área Metropolitana de Lisboa. Nesta região, aponta o INE, quem anda de transportes faz uma média de 2,6 deslocações por dia. Quem anda de carro, por exemplo, demorar uma média de 21,7 minutos por cada deslocação, o que significa que, em média, os condutores de carros em Lisboa passam 56,42 minutos por dia, ou 6,58 horas por semana, ou 14,30 dias por ano a conduzir.

Tal como no Porto, os passageiros dos transportes públicos de Lisboa passam uma parte muito maior do ano dentro dos mesmos. Quem usa o autocarro demora uma média de 45,7 minutos por cada deslocação, o que significa (considerando a mesma média de 2,6 deslocações por dia) que andam neste transporte durante 118,82 minutos por dia, 13,86 horas por semana ou 30,12 dias por ano.

Um ano de transportes em Lisboa: 14 dias a conduzir, um mês no autocarro

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ao fim de um ano, lisboetas e portuenses andaram um mês em transportes públicos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião