Esta é a carta de demissão de Boris Johnson. As razões da saída

Já se conhecem as razões da demissão de Boris Johnson, que deixou o cargo de ministro britânico dos Negócios Estrangeiros. Diz que Brexit enquanto oportunidade está a morrer sufocado pela insegurança.

Boris Johnson demitiu-se esta segunda-feira do cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, uma decisão que está a atirar o Governo de Theresa May para uma crise política, numa altura em o país corre contra o tempo para conseguir um acordo com a União Europeia após o Brexit. Numa carta enviada à primeira-ministra britânica, Boris Johnson, firme defensor da saída do Reino Unido do bloco, explica as razões que motivaram esta decisão.

“O Brexit deve ser sobre oportunidade e esperança. Deve ser uma hipótese para fazermos as coisas de forma diferente, para sermos mais ágeis e dinâmicos, e para maximizarmos as vantagens específicas de um Reino Unido enquanto economia aberta e voltada para o exterior”, escreve Boris Johnson na carta de demissão, citada pelo jornal britânico The Guardian. “Esse sonho está a morrer, sufocado por uma insegurança desnecessária”, acrescenta.

O ministro demissionário lembra como tem vindo a pressionar a primeira-ministra para iniciar os preparativos para uma saída sem acordo, uma “decisão crucial” que, diz, tem vindo a ser “adiada”. Como resultado, “parece que estamos a caminhar em direção a um semi-Brexit, com várias partes da economia ainda presas ao sistema da União Europeia, mas sem que o Reino Unido tenha controlo sobre esse sistema”, refere Boris Johnson. “Estamos verdadeiramente a caminho de um estado de colónia — e muitos vão ter dificuldade em ver vantagens económicas ou políticas nisso”, argumenta ainda o político britânico.

Contudo, Boris Johson reconhece que o seu argumentário tem merecido pouco apoio no Governo e dá os parabéns à primeira-ministra por ter conseguido aprovar um plano. “O Governo agora tem uma música para cantar. O problema é que tenho vindo a praticar o discurso no fim de semana e a descobrir que fica preso na garganta. Uma vez que não consigo, em toda a minha consciência, dar a cara por estas propostas, concluí com tristeza que devo ir embora”, lê-se na carta de demissão.

Boris Johnson foi a terceira baixa no Governo britânico em menos de 24 horas. Demitiu-se pouco depois de David Davis, ministro do Brexit, e Steve Baker, número dois do Departamento para a Saída da União Europeia, terem feito o mesmo.

Comentários ({{ total }})

Esta é a carta de demissão de Boris Johnson. As razões da saída

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião