Exportações portuguesas desaceleram. Importações estagnam

  • Marta Santos Silva
  • 10 Julho 2018

As exportações aumentaram mais do que as importações no mês de maio, tendo crescido 6,2% contra os 0,3% das importações. No entanto, ambas ficam bastante abaixo do crescimento de 2017.

As exportações e importações desaceleraram consideravelmente no mês de maio, de acordo com dados divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Enquanto as exportações ficaram num crescimento de 6,2%, comparativamente aos 17,7% homólogos registados em abril, as importações praticamente estagnaram com um crescimento de 0,3%, quando em abril tinha sido de 12,9%.

O défice da balança comercial diminuiu relativamente ao mesmo mês no ano anterior: em maio de 2018 fixou-se nos 1.122 milhões de euros, enquanto no ano anterior o valor era 284 milhões de euros superior.

As exportações cresceram principalmente devido a um aumento de 8,7% no comércio internacional dentro da União Europeia. As exportações portuguesas para foram da União Europeia viram, na verdade, uma redução de 1,1%. As importações também aumentaram menos pela mesma tendência — houve uma queda de 11,9% nas importações de países de fora da UE. A desaceleração em relação ao ano anterior também se deve, porém, ao facto de maio de 2018 ter menos um dia útil que maio de 2017.

Crescimento das exportações diminui em maio

Dados: INE. Em percentagem. Valores homólogos.

Já comparando a evolução registada neste mês de maio com o mês anterior, abril, “em maio de 2018 as exportações aumentaram 6,7%, sobretudo em resultado do comportamento do comércio Intra-UE. As importações cresceram 3,0%, reflexo do aumento verificado no comércio Intra-UE, dado que no comércio Extra-UE se registou uma redução”.

Importação de combustíveis e lubrificantes cai

Em maio de 2018, a importação na área dos combustíveis e lubrificantes caiu 15,5% relativamente ao mesmo período em 2017. As exportações nessa área, por sua vez, dispararam: Portugal exportou mais 32,3% de produtos na área dos combustíveis e lubrificantes em maio deste ano do que em maio do ano passado.

Outras categorias de produtos que afetam a balança comercial portuguesa com mais peso são a do material de transporte, onde Portugal exportou mais 18% — em parte, esta subida dever-se-á ao aumento da produção da fábrica da Volkswagen em Palmela, que implementou horários alargados para ter maior produção — e também a das Máquinas e outros bens de capital, onde Portugal importou mais 7,6% este mês do que em maio de 2017.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Exportações portuguesas desaceleram. Importações estagnam

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião