Apollo e Bain na corrida à carteira de malparado do Santander em Portugal

Os dois fundos estão entre os que apresentaram propostas não vinculativas para a compra de uma carteira de 650 milhões de euros de crédito malparado do banco espanhol em Portugal.

A Apollo Global Management e a Bain Capital estão entre os fundos que apresentaram propostas não vinculativas para ficar com uma carteira de crédito malparado do Santander em Portugal avaliada em 650 milhões de euros, avança a Bloomberg.

A agência de notícias cita, esta terça-feira, fontes próximas do processo que incluem ainda a Arrow Global em conjunto com a CarVal Investors, e a Cerberus Capital Management no leque de interessados que terão entregue propostas por essa carteira de crédito detida pelo banco espanhol em Portugal.

De acordo com uma das fontes, as propostas de compra para esses ativos tóxicos do setor imobiliário devem acontecer em setembro. Os 650 milhões de euros serão compostos sobretudo por malparado do Banco Popular, segundo avançam fontes próximas do processo no mês passado. A Alantra estará a assessorar o Santander Totta nesta operação.

Confrontadas pela Bloomberg, a Apollo, Arrow, Bain, Carval, Cerberus e o Santander Totta recusaram-se a comentar esse negócio.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Apollo e Bain na corrida à carteira de malparado do Santander em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião