Todos a bordo do Apolong. China já começou a fabricar autocarro que não precisa de condutor

  • ECO
  • 13 Julho 2018

Desenvolvido pela Baidu, o Apolong tem autonomia para 100 quilómetros, um design moderno e capacidade para 14 pessoas. Não há condutor, mas já pode apanhar este minibus em algumas zonas da China.

O motor de busca Baidu já começou a fabricar o primeiro autocarro sem condutor da República Popular da China. Chama-se Apolong e é um veículo autónomo, idealizado para passeios turísticos e complexos industriais. De acordo com a empresa, será brevemente lançado em vários pontos turísticos e aeroportos. No entanto, já pode apanhar este minibus em algumas zonas turísticas da China, nomeadamente na capital, Pequim.

O veículo tem capacidade para 14 pessoas (lugares sentados), foi desenhado com linhas curvas e mais de metade do autocarro é composto por grandes janelas. A grande novidade é mesmo o condutor, ou a falta dele. Não há volante, uma vez que o autocarro é conduzido autonomamente e pode ir até aos 70 quilómetros por hora, ainda que nunca atinja essa velocidade. Neste momento, nos sítios onde já está disponível, o veículo ainda não ultrapassa os 30 quilómetros por hora.

Quando a bateria do Apolong está completamente carregada, o veículo tem autonomia para andar durante um percurso de 100 quilómetros. Para voltar a carregar totalmente, não são precisas mais do que duas horas.

De acordo com o El País, a Baidu anunciou que o fabricante de autocarros King Long já construiu 100 unidades do Apolong. A próxima fase é a produção em massa, mas esta está dependente do certificado de níveis satisfatórios de eficiência e segurança. “2018 marca o início da comercialização dos veículos autónomos e o volume de produção do Apolong demonstra que a condução autónoma está a dar grandes passos”, afirmou Robin Li, da Baidu, durante uma conferência para o desenvolvimento de sistemas de inteligência artificial organizada pela empresa.

O minibus asiático consegue evitar obstáculos, mas nunca se desvia do caminho programado. Neste momento, o Apolong só anda por rotas já pré- estabelecidas, em parques turísticos segue um circuito e para em paragens definidas e, nos complexos industriais faz o percurso entre empresas ou pavilhões.

Atualmente com o nível quatro (numa escala que vai de zero a cinco), para atingir o nível máximo de condução autónoma, o Apolong só precisa de preencher mais um requisito: ser capaz de desviar-se da rota programada.

A introdução destes veículos será gradual mas a Baidu espera que o processo avance a uma velocidade considerável e não só para o transporte de pessoas, mas também de mercadorias.

Veja o vídeo para conhecer melhor o minibus Apolong.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Todos a bordo do Apolong. China já começou a fabricar autocarro que não precisa de condutor

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião