Governo aprova dedução no IRC de até 20% dos salários para as empresas do interior

  • ECO
  • 14 Julho 2018

No Conselho de Ministros deste sábado, Pedro Siza Vieira anunciou um pacote que inclui 62 medidas para o interior do país incluindo incentivos às empresas e um investimento de 1.700 milhões de euros.

As empresas do interior vão ter acesso a uma dedução no IRC de até 20% dos salários, segundo deseja o Governo. Esta é uma das medidas aprovadas este sábado num Conselho de Ministros extraordinário que teve lugar na Pampilhosa da Serra, em Coimbra.

O ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, explicou que o incentivo a nível do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas (IRC) ainda terá de ser discutido com a Comissão Europeia, mas que se espera que os custos salariais possam ser deduzidos em até 20%, o que em muitos casos pode resultar num IRC zero, disse o ministro. A dedução serviria tanto para as empresas que já se situam no interior como para as que vejam a situar-se lá.

O Programa de Valorização do Interior, aprovado hoje, inclui outras 61 medidas. Para as empresas, traz mais novidades: por exemplo, as taxas de portagem para os veículos afetos ao transporte de mercadorias vão ser reduzidas nas estradas do interior, e as empresas lá situadas terão descontos adicionais. Esta medida vai ser mais bem esclarecida pelo ministro do Planeamento e das Infraestruturas esta segunda-feira.

Virão ainda novos benefícios fiscais ao investimento no interior, reforçados relativamente aos que têm sido postos em prática no passado, e a criação de um “Programa de Captação de Investimentos para o Interior, materializado num conjunto de apoios e incentivos dirigidos ao interior, incluindo uma Linha de Apoio Específica para o Interior para Projetos Empresariais de Interesse Estratégico”, lê-se no comunicado do Conselho de Ministros.

1.700 milhões para o investimento no Interior

O Governo vai criar um programa de concursos de 1.700 milhões de euros para apoiar o investimento empresarial no interior, no âmbito da reprogramação do Portugal 2020. O ministro Adjunto salientou que está a ser trabalhada com o Ministério do Planeamento e Infraestruturas a aprovação de um programa específico de apoio ao investimento empresarial, no âmbito dos sistemas de incentivos do Portugal 2020.

Esse programa contempla “um apoio de até 1.700 milhões de euros, especificamente para os territórios de baixa densidade”, sublinhou Pedro Siza Vieira.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo aprova dedução no IRC de até 20% dos salários para as empresas do interior

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião