Mundial da Rússia ficou a dois golos do recorde. Foram marcados 169 golos

  • Lusa
  • 16 Julho 2018

As 32 seleções presentes marcaram, pelo menos, dois golos durante a prova que fechou com um total de 169 tentos. Faltaram dois para bater o recorde do Mundial do Brasil.

O Mundial de futebol de 2018 terminou com 169 golos, o terceiro melhor registo de sempre em termos absolutos, apenas a dois do recorde da prova, partilhado pelas edições de 1998 e 2014.

Após uma final com seis golos, o triunfo da França sobre a Croácia por 4-2, a edição russa fechou com a média de 2,64 golos por encontro, sendo que todas as 32 seleções presentes marcaram, pelo menos, dois golos.

Os 169 tentos passam a ocupar a última posição do pódio, oito acima dos 161 da edição de 2002, realizada na Coreia do Sul e no Japão.

Em termos de média, os 5,38 tentos por encontro de 1954 – com 140 golos em 26 jogos – continuam a liderar, sendo um registo aparentemente insuperável.

Coletivamente, a Bélgica foi a seleção mais goleadora, ao concluir a prova com 16 golos, contra 14 das duas finalistas, a França e a Croácia.

Individualmente, brilhou acima de todos Harry Kane, que marcou seis tentos, tornando-se o segundo inglês a coroar-se o ‘rei’ dos marcadores, 32 anos depois de Gary Lineker, no México, na edição de 1986.

O ponta de lança do Tottenham marcou mais dois tentos do que um quinteto, formado pelo belga Romelu Lukaku, os franceses Antoine Griezmann e Kylian Mbappé, o português Cristiano Ronaldo e o russo Denis Cheryshev.

Destaque ainda para os 22 penáltis concretizados, dos 29 assinalados, muitos com intervenção decisiva do VAR, e os 12 golos na própria baliza.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mundial da Rússia ficou a dois golos do recorde. Foram marcados 169 golos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião