Raize estreia-se na bolsa com subida de 10%

A Raize já começou a negociar na bolsa de Lisboa. Os títulos deram um pulo de 10% para 2,20 euros por ação, com mais de 49 mil ações a trocarem de mãos.

A Raize estreou-se na bolsa de Lisboa com uma subida de 10% para 2,20 euros. Este é o primeiro dia de negociações na praça portuguesa, depois da oferta pública de venda inicial que terminou na semana passada. A startup vendeu 750 mil títulos a cerca de 1.400 investidores, com a procura a superar em quase quatro vezes a oferta.

Os títulos da Raize não negoceiam de forma contínua, pelo que a primeira chamada resultou em cerca de 49.500 ações a trocarem de mãos — isto é, aproximadamente 6,6% do free float da empresa portuguesa. A próxima chamada deverá ocorrer por volta das 15h30.

Liderada por José Maria Rego, a Raize concluiu com sucesso o IPO na semana passada. A oferta foi subscrita em 369% numa operação avaliada em 1,5 milhões de euros, para uma capitalização inicial de dez milhões. No total, participaram 1.419 investidores, a maioria investidores de retalho, mas também alguns investidores institucionais.

A Raize é uma bolsa de empréstimos para pequenas e médias empresas (PME), que conta já com 31 mil investidores na plataforma. Já financiou empresas num montante total superior a 15,5 milhões de euros, em 774 operações, segundo dados da Euronext Lisbon.

Na semana passada, a empresa já tinha antecipado um “forte dinamismo” dos títulos “nos primeiros dias de negociação”. José Maria Rego, cofundador, também deixou uma nota sobre isso na apresentação da operação: “Dia 18 é o primeiro dia de negociação, é importante que estejamos todos preparados para respondermos às necessidades dos investidores”.

(Notícia atualizada às 10h50 com mais informações)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Raize estreia-se na bolsa com subida de 10%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião