Trabalhadores da Autoeuropa aprovam caderno reivindicativo

  • Lusa
  • 19 Julho 2018

O caderno reivindicativo aprovado pela esmagadora maioria dos funcionários da Autoeuropa deverá ser entregue à administração da empresa na próxima ronda negocial.

Os trabalhadores da Autoeuropa aprovaram esta quinta-feira um caderno reivindicativo em que reclamam um aumento salarial de 4% e o pagamento do trabalho ao domingo a 100%, disse à agência Lusa o coordenador da Comissão de Trabalhadores.

“Nos três plenários realizados esta quinta-feira houve apenas cinco votos contra e pouco mais de uma dezena de abstenções“, sublinhou Fausto Dionísio, acrescentando que os trabalhadores reclamam também a atribuição de um prémio de 1.000 euros no início de 2019. “Este prémio será uma compensação pelo pagamento do trabalho ao domingo como um dia normal até final deste ano”, justificou o coordenador da Comissão de Trabalhadores.

Fausto Dionísio lembrou que os trabalhadores da Autoeuropa vão ter de trabalhar ao domingo com a implementação dos novos horários de laboração contínua a partir do final de agosto e que a administração da empresa reconheceu não ter possibilidade de proceder a qualquer aumento das remunerações até final do ano em curso.

Os trabalhadores esperam, no entanto, que a administração da fábrica os compense por este período, até final do ano, em que os domingos vão ser remunerados como um dia normal de trabalho, com um prémio de 1.000 euros no início de 2019.

Os trabalhadores da fábrica de automóveis da Volkswagen em Palmela consideram que o trabalho aos sábados e aos domingos deve ser remunerado de forma igual, ou seja, defendem que o trabalho ao sábado e ao domingo deve ser pago a dobrar, valor que deverá ser acrescido de mais 25% do prémio trimestral de produtividade, caso sejam cumpridos os objetivos da fábrica.

Além destas reivindicações, os trabalhadores da Autoeuropa defendem ainda a integração no quadro de pessoal, até setembro de 2019, de mais 400 trabalhadores com contrato a termo, a garantia da empresa de que não fará nenhum despedimento coletivo durante a vigência do acordo, bem como a entrega extraordinária da quantia de 100 mil euros para o Fundo de Pensões, a dividir de forma igual por todos os trabalhadores aderentes.

O caderno reivindicativo aprovado pela esmagadora maioria dos funcionários da Autoeuropa deverá ser entregue à administração da empresa na próxima ronda negocial, que, segundo a Comissão de Trabalhadores, poderá ter lugar já na próxima terça-feira

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trabalhadores da Autoeuropa aprovam caderno reivindicativo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião