Endesa ganhou 752 milhões de euros no primeiro semestre do ano

  • Lusa
  • 24 Julho 2018

Resultados da elétrica espanhola crescem impulsionados pelo mercado liberalizado, pelo bom desempenho do mercado regulado e pela recuperação das margens do gás.

O lucro da Endesa cresceu 15% no primeiro semestre deste ano, para 752 milhões de euros, face a igual período de 2017, impulsionado pelo mercado liberalizado, pelo bom desempenho do mercado regulado e pela recuperação das margens do gás.

O resultado bruto de exploração (Ebitda) teve um aumento de 12% nos primeiros seis meses deste ano, para 1.804 milhões de euros, enquanto as receitas caíram 1% para os 9.934 milhões de euros, segundo um comunicado enviado à Comissão Nacional do Mercado de Valores (CNMV).

O presidente executivo da elétrica espanhola Endesa, José Bogas, referiu que a empresa está no caminho certo para alcançar os objetivos traçados para 2018, realçando ainda que o faz num contexto de preços elevados das matérias-primas energéticas, situação que ocorre devido ao significativo aumento da procura por parte da Ásia.

As despesas fixas de exploração, por sua vez, mantiveram-se em linha com as observadas no primeiro semestre de 2017, totalizando 1.012 milhões de euros, contra os 1.016 milhões registados no mesmo período do ano passado.

Já o resultado bruto de exploração (Ebit) cresceu 17% nos seis primeiros meses deste ano, para 1.053 milhões de euros, enquanto o investimento bruto teve um acréscimo de 41%, para 554 milhões de euros, principalmente devido à construção de novos equipamentos para aumentar a potência eólica e fotovoltaica adjudicada nos leilões de energia renovável que a Endesa venceu e que foram realizados no ano passado.

A dívida da Endesa, por sua vez, cresceu 19% no período em análise, face ao valor contabilizado a 31 de dezembro de 2017, situando-se em 5.956 milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Endesa ganhou 752 milhões de euros no primeiro semestre do ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião