5 coisas que vão marcar o dia

Contas da Galp e do desemprego em Portugal, evolução da avaliação das casas pelos bancos e o arranque previsto para a devolução dos juros negativos no crédito da casa marcam esta segunda-feira.

O arranque da semana começa por ser marcado pela divulgação dos resultados da Galp Energia, mas também pelas estimativas para o desemprego relativas a junho. Na banca, destaque para a divulgação da avaliação das casas para efeitos de concessão de crédito à habitação, mas também para o arranque da devolução dos juros negativos da casa. Fique ainda a saber que os combustíveis vão ficar mais caros a partir desta segunda-feira.

Mais lucros a “jorrar” da Galp?

A Galp Energia agendou para esta segunda-feira a divulgação do balanço das suas contas relativo à primeira metade do ano. Depois de ter terminado o primeiro trimestre com lucros de 135 milhões de euros, a empresa liderada por Carlos Gomes da Silva deverá anunciar resultados líquidos de 206,44 milhões de euros no segundo, de acordo com as estimativas dos analistas consultados pela Reuters. Assim, no acumulado, a petrolífera poderá apresentar lucros de 341 milhões, suportada no negócio da exploração e produção de petróleo, especialmente por causa do Brasil.

Desemprego. Uma nova descida?

Esta segunda-feira, o Instituto Nacional e Estatística divulga a estimativa provisória da taxa de desemprego para o mês de junho. Será assim possível saber se a quebra do desemprego registada em maio teve seguimento no mês seguinte. Os últimos dados mostram que a taxa de desemprego se fixou em maio nos 7,3%.

Avaliação bancária das casas. Preços continuam a subir?

Os preços das casas não param de subir. Esta segunda-feira, o Instituto Nacional de Estatística divulga os dados para a avaliação bancária dos imóveis relativos ao mês de junho. Este indicador é importante porque serve de barómetro para o rumo dos preços das casas, já que é com base nele que os bancos definem o preço a que avaliam os imóveis para efeitos de concessão de crédito à habitação. Com estes dados será possível determinar aquela que foi a evolução dos preços das casas na primeira metade do ano.

O arranque da devolução dos juros negativos da casa

Esta segunda-feira termina o prazo para os bancos portugueses implementarem a devolução dos juros negativos do crédito à habitação aos clientes que beneficiam atualmente desta medida. A medida não é do agrado dos bancos, mas estes disseram que a iriam cumprir. A maioria das instituições financeiras optou por amortizar os juros negativos já na próxima prestação da casa em vez de adiar essa devolução para períodos em que as Euribor assumam valores positivos.

Gasolina e gasóleo mais caros a partir de hoje

Caso pretenda atestar o depósito de combustível não se assuste. O preço do gasóleo e da gasolina sobem a partir desta segunda-feira. No caso do diesel prepare-se para uma subida de 1,5 cêntimos no preço do litro. Maior será a subida da gasolina: o litro vai encarecer em três cêntimos, naquela que vai ser a maior subida desde novembro.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião