Luís Fazenda critica Robles: “São circunstâncias que, no Bloco, nós condenamos”

  • ECO
  • 30 Julho 2018

Cofundador do Bloco de Esquerda e antigo líder parlamentar diz que atividades imobiliárias de Robles "são circunstâncias que, no BE, nós condenamos e que levam à gentrificação".

Luis Fazenda discursa no segundo dia da X Convenção Nacional do Bloco de Esquerda, no Pavilhão do Casal Vistoso em Lisboa, 25 de junho de 2016.TIAGO PETINGA/LUSA

“São circunstâncias que, no Bloco de Esquerda, nós condenamos e que levam à gentrificação”, disse Luís Fazenda, cofundador do Bloco de Esquerda, a respeito do caso que envolve Ricardo Robles e a sua casa de Alfama.

Em declarações ao jornal i desta segunda-feira, o antigo líder parlamentar bloquista assume não poder “dizer outra coisa”, sublinhando que, apesar do caso, “o Bloco não mudou de ideias nem de políticas”.

“As avaliações que faremos vão ter em conta as várias opções e a forma como este processo foi entendido” disse, ironizando, no entanto, o impacto do caso na comunicação social desde que a primeira notícia saiu, na última sexta-feira. “Achei muito interessante este movimento que se estendeu a todo o país. Consegui perceber que teve mais eco do que as bravatas de Manuel Pinho”, acrescentou, anunciando: “Se querem um debate sobre valores, nós faremos esse debate”.

Catarina Martins, líder do Bloco de Esquerda, saiu em defesa de Robles, dizendo que o caso se pode tratar de uma “campanha de difamação” e “infâmia”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Luís Fazenda critica Robles: “São circunstâncias que, no Bloco, nós condenamos”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião