? Da resolução do BES aos quatro anos de um Novo Banco

Quatro anos se passam desde a medida de resolução do BES. E quatro anos se passam desde o nascimento do Novo Banco, a instituição que ficou com a parte boa do histórico banco da família Espírito Santo, mas que desde então acumula prejuízos de 3,6 mil milhões de euros e já obteve ajuda do Estado de muitos milhares de milhões de euros.

Não tem sido um início de vida propriamente fácil para a instituição. Hoje já não é um banco de transição: é um banco de facto, embora muito mais pequeno do que era no dia 3 de agosto de 2014. E fala uma nova língua, depois da venda de 75% ao fundo norte-americano Lone Star a troco de uma injeção de mil milhões de euros.

A propósito do quarto aniversário do Novo Banco, o ECO provocou António Ramalho com o ditado popular “o que nasce torto, tarde ou nunca se endireita”. O presidente do Novo Banco prefere lembrar que há sempre uma exceção que confirma a regra. E diz que o melhor ditado que veste o Novo Banco é outro: “O que não nos mata, torna-nos mais fortes”.

O ECO preparou um vídeo com os principais acontecimentos que marcam a existência do Novo Banco.

Comentários ({{ total }})

? Da resolução do BES aos quatro anos de um Novo Banco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião