Supervisor dos mercados norte-americano lança investigação à Tesla

O supervisor dos mercados americano quer saber se a a Tesla tem, de facto, um fundo de emergência para garantir que os investidores não são penalizados.

O organismo supervisor dos mercados norte-americanos, a Comissão de Valores Mobiliários (U.S. Securities and Exchange Commission, SEC) enviou uma intimação à Tesla por causa dos planos de privatização e das afirmações do presidente executivo, Elon Musk, de que o “financiamento estava garantido” para pagar 420 dólares por ações para tirar a empresa de bolsa, avançou esta quarta-feira a Fox News, citando fontes próximas.

As ações da fabricante de carros elétricos caíram 4,5% para os 333,33 dólares. A Tesla recusou fazer qualquer comentário sobre a intimação recebida da SEC, assim como a porta-voz do regulador Judith Burns, avançou a Reuters e a Bloomberg.

O supervisor dos mercados americano quer saber se a a Tesla tem, de facto, um fundo de emergência para garantir que os investidores não são penalizados. Caso o organismo homólogo da CMVM descubra que esse fundo não existe, Musk poderá ser acusado de manipulação de mercado ou até mesmo de fraude. De acordo com o artigo 14.º da SEC as empresas cotadas em bolsa, nos Estados Unidos, estão proibidas de anunciar planos de venda ou compra de títulos se os executivos não pretendem levar esses planos avante, se não têm os meios para finalizar o acordo ou se o fazem com objetivo de manipular preço da ação “direta ou indiretamente”.

No início da semana passada, Musk disse no Twitter que estava a considerar tirar a Tesla de bolsa a 420 dólares por ação, cerca de 360 euros que representam um prémio de 22,8%, e que tinha o financiamento assegurado.

Mas se o anúncio começou por ter um efeito positivo em bolsa, rapidamente o feitiço se virou contra o feiticeiro e os investidores começaram a castigar a empresa. Depois foi a vez do próprio conselho de administração da empresa exigir mais detalhes sobre os planos de Elon Musk. Na terça-feira, a empresa comunicou que o conselho de administração criou um comité especial para estudar a proposta do fundador da empresa. O comité será composto por três diretores independentes: Brad Russ, Robyn Denholm e Linda Johnson Rice. Este órgão contratou uma empresa para que atue como assessora legal e tem programado contratar um assessor financeiro independente para rever a proposta.

Esta segunda-feira, Musk já começou a dar algumas explicações. No site da empresa o responsável disse que o fundo soberano da Arábia Saudita tem interesse em financiar essa operação.

Comentários ({{ total }})

Supervisor dos mercados norte-americano lança investigação à Tesla

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião