Vem aí uma versão mais barata do MacBook da Apple

A gigante liderada por Tim Cook vai lançar, até ao final do ano, um portátil estilo MacBook Air com um preço reduzido e ecrã de alta resolução. O desktop mini também será reinventado,

Depois de ter registado o nível de vendas de computadores mais baixo desde 2010, a Apple prepara-se para lançar versões low-cost destes seus produtos, avança a Bloomberg. Até ao final do ano, a gigante liderada por Tim Cook deve colocar no mercado um portátil mais barato do que os atualmente disponíveis e um computador desktop mini dirigido aos clientes profissionais.

O portátil low-cost seguirá a linha do MacBook Air (que custa, em Portugal, mais de 1.100 euros), mas ao contrário deste último terá um ecrã de alta resolução. Com um preço mais reduzido, este novo aparelho será dirigido particularmente aos consumidores que valorizam a marca Apple, mas não estão dispostos a abrir os cordões à bolsa, bem como às escolas.

Recorde-se que os computadores foram a primeira aposta da gigante criada por Steve Jobs. Desde a criação da marca que estes produtos têm tido um peso significativo nas suas vendas: no último ano fiscal, representaram 11%, ultrapassando mesmo o iPad. Ainda assim, a verdade é que muitos são os consumidores que se têm queixado da falta de atualizações, isto é, dizem que estes aparelhos não têm sido capazes de responder às suas necessidades profissionais.

Por isso, outra das apostas da Apple é a reinvenção do computador desktop mini com especial foco nesses utilizadores. Popular pelo seu preço reduzido (em Portugal, os preços começam nos 500 euros — isto sem ecrã, rato ou teclado), este dispositivo tornou-se popular junto de quem trabalha com o desenvolvimento de aplicações móveis e de quem gere negócios mais modestos. O novo modelo terá como principal foco os utilizadores profissionais, oferecendo um processador de melhor qualidade e mais espaço de armazenamento.

Além destes dois lançamentos, a Apple está a preparar uma nova versão do seu sistema operativo, bem como do seu dispositivo mais caro e sofisticado: o Mac Pro. Até ao final do ano, devem também ser conhecidos os novos iPhones, Apple Watches e iPad Pros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vem aí uma versão mais barata do MacBook da Apple

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião