Benfica na Champions. Corrida às ações atira liquidez para máximo de três anos

  • ECO
  • 30 Agosto 2018

Depois de um empate em casa, os encarnados golearam na Grécia. Garantiram o acesso à fase de grupo da Champions, encaixando muitos milhões. Na bolsa, as ações brilham. A liquidez está em máximos.

Os golos do Benfica fizeram levantar as… ações. Com a euforia dos adeptos pela vitória dos encarnados frente ao PAOK Salónica, que garantiu um lugar na fase de grupos da Liga dos Campeões, os títulos da SAD estão a disparar. E há uma verdadeira corrida aos papéis em bolsa, levando a liquidez para máximos de três anos.

Apesar de um resultado menos positivo em casa, na primeira mão, o Benfica acabou por resolver o acesso à fase de grupos da Champions com um 1-4 na Grécia, frente ao PAOK. Uma goleada que está a ser celebrada também no mercado de capitais, com as ações a negociarem no valor mais elevado desde 2014. Chegaram aos 2,74 euros.

Ações da SAD encarnada em máximos

As ações apresentaram uma subida máxima de 22% na bolsa de Lisboa, liderando de longe os ganhos na praça nacional. A tendência positiva mantém-se, embora a valorização seja mais comedida: os títulos seguem a valorizar 12,05% para os 2,51 euros. A SAD já mais do que duplicou de valor este ano (118%).

Esta subida, que coloca o valor de mercado da SAD em mais de 51 milhões de euros, está a ser feita com um forte volume. Já foram transacionados 78 mil títulos, estando a liquidez, ou seja, o valor total dos negócios já realizados acima dos 200 mil euros. É preciso recuar até maio de 2015 para encontrar uma sessão com tanta liquidez (233,2 mil euros, na altura).

A corrida dos investidores aos títulos traduz o entusiasmo com o sucesso desportivo, mas também o financeiro. É que o acesso à próxima fase Liga dos Campeões permitiu à SAD encaixar um total de quase 43 milhões de euros.

E o valor a receber pelos encarnados poderá aumentar ainda mais na fase de grupos. Por cada vitória, os clubes recebem 2,7 milhões, podendo, desta forma, arrecadar 16,2 milhões de euros no melhor dos cenários.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Benfica na Champions. Corrida às ações atira liquidez para máximo de três anos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião