Trotinetas elétricas da Lime invadem ruas de Lisboa

Depois de Paris, Berlim e Madrid, Lisboa. A Lime prepara-se para trazer para a capital portuguesa o seu serviço de partilha de trotinetas elétricas.

Depois de Paris, Berlim e Madrid, as trotinetas elétricas da norte-americana Lime vão agora chegar a Lisboa. Ao ECO, o diretor-geral da empresa para Portugal avança que serão disponibilizadas entre 200 e 400 scooters, estando ainda em aberto a data do lançamento oficial. Marco Pau não revela, contudo, o montante investido.

Lime estás prestes a chegar a Lisboa.Lime (Facebook)

“Ofereceremos um modo de transporte urbano com maior flexibilidade e menor impacto ambiental. O centro urbano de Lisboa tem uma grande concentração de carros, daí a necessidade de um serviço como o nosso”, sublinha o responsável.

A partir de agora, os interessados vão poder trocar o carro pela trotineta elétrica por 15 cêntimos por minuto de utilização, aos quais se soma um euro inicial para “desbloquear” o veículo.

O processo de utilização é simples. O cliente recorre ao mapa presente na aplicação móvel da Lime para encontrar o veículo mais próximo, que, depois, “desbloqueia” ao ler com o seu smartphone o código QR nele presente.

Uma vez concluída esta etapa, o serviço tem por base um sistema free-float, no qual o utilizador pode recolher e deixar a trotineta em qualquer local do perímetro preestabelecido. No final da viagem, o cliente terá apenas de tirar uma foto ao equipamento e inseri-la na aplicação para “bloquear” novamente a trotineta elétrica.

Questionado sobre a eventual chegada do serviço de bicicletas partilhadas, que a Lime oferece noutras cidades onde opera, o responsável confirma que não há qualquer previsão para que tal aconteça. Recorde-se que, ao contrário do mercado das trotinetas elétricas, o das bicicletas já conta com a rede GIRA, que Marco Pau considera “um complemento” ao serviço agora lançado.

Criada em janeiro de 2017, a Lime foi uma das pioneiras no serviço de partilha de bicicletas e trotinetas elétricas. Por isso, nos últimos meses, tem conseguido chamar a atenção de nomes tão sonantes do mundo da tecnologia como o da Google e o da Uber, empresas das quais tem mesmo conseguido financiamento e apoio.

O serviço de trotinetas em particular foi criado em fevereiro deste ano. Deste então, só em São Francisco, na Califórnia, já foram feitas mais de 300 mil viagens com estes veículos.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trotinetas elétricas da Lime invadem ruas de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião